fbpx

A Fujifilm anunciou o aumento do preço das chapas de impressão offset, numa média de 0,70 euros por metro quadrado, a partir de 1 de novembro de 2021. O aumento resulta da pressão nos preços das matérias-primas e da logística.

Apesar da implementação de medidas para absorver os aumentos dos preços dos materiais, reduzindo os próprios custos operacionais, a fabricante comunicou que terá que implementar o aumento dos preços e vai basear as sobretaxas na taxa de câmbio do metal londrino. A taxa será revista mensalmente. Os detalhes da nova estrutura serão comunicados a todos os clientes em toda a região EMEA.

Fujifilm Brillia

Taku Ueno, Vice-Presidente Sénior da Fujifilm Graphic Systems EMEA diz: "Nos últimos meses, a situação evoluiu para um nível sem precedentes. Embora isto seja lamentável, e nós certamente entendemos que estas condições são extremamente difíceis para os nossos clientes, a nova sobretaxa será compensada pelo aumento do valor do resíduo de alumínio."

Dada a situação, a Fujifilm insta a que as gráficas que procuram alguma estabilidade de preços a longo prazo possam aderir ao programa internacional Platesense. Trata-se de um contrato que permite gerir vários elementos da operação de pré-impressão de uma gráfica, incluindo fornecimento de chapas e recolha de resíduos, por uma taxa mensal fixa. No entanto, Filipe Marques, Country Manager na Fujifilm Portugal, revela que a recolha de resíduos ainda não é viável por cá. "Não é possível realizar a reciclagem do alumínio em território português e a dimensão das empresas do mercado gráfico nacional não permite, ainda, ativar cá o programa internacional", referiu.