fbpx

A empresa portuguesa MTEX NS apresentou o primeiro equipamento de combate à SARS-CoV-2, capaz de esterilizar vestuário, calçado e outros objetos em apenas vinte minutos, através da administração, em pequenas quantidades, e em ambiente controlado, de gás ozono. O primeiro equipamento foi instalado na Academia do Futebol Clube de Famalicão.

Houve um período de estudo e validação científica, que decorreu durante alguns meses na Universidade de Saragoça, em Espanha. Neste momento, em Portugal, o CITEVE está a avaliar o potencial desgaste da metodologia nos diferentes tecidos e a Universidade Católica Portuguesa encontra-se a analisar a eficácia da aplicação deste sistema no combate a outros vírus.

Mtex NS covid19

Em comunicação emitida pela autarquia de Famalicão, o CEO da MTEX NS, Elói Ferreira, admitiu o “grande orgulho” que representa para a empresa ter uma “solução cientificamente validada para o combate ao flagelo do momento". Acrescentou que, desta forma, “está dada luz verde para a comercialização deste equipamento que acrescenta segurança no dia a dia de todos” e desafiou “todos os players desportivos e não desportivos, nacionais e internacionais”, a seguirem o exemplo.

Augusto Lima, Vereador da Economia da Câmara Municipal de Famalicão, elogiou a MTEX pela “procura de soluções inovadoras num contexto de desafios imprevistos”, o que “reflete a visão dos gestores e o know how dos profissionais da empresa”.

O Futebol Clube de Famalicão estabeleceu uma parceria com a MTEX NS, passando a integrar equipamentos certificados desenvolvidos pela empresa famalicense no combate ao coronavírus. Para além do esterilizador de roupa, calçado e outros objetos, contam-se ainda esterilizadores de ar e dispensadores de álcool gel sem contacto.