fbpx

 

A Escola Superior de Tecnologia de Tomar (ESTT) recebeu a quarta edição das Jornadas de Tecnologia Gráfica.

O evento, com organização dos docentes Regina Delfino, Luís Oliveira e Rui Proença, voltou a ser a oportunidade para levar a indústria ao palco da escola, aproximando as realidades do mundo do trabalho e da educação.

Regina Delfino, João Patrício e Helder Nogueira

Embora estivesse prevista uma sessão sobre a impressão em serigrafia, para a parte da manhã, a mesma não se realizou devido a imprevistos incontornáveis de Sofia Areal, a artista convidada para falar sobre o assunto.

João Patrício
, diretor da ESTT, abriu a sessão e deixou um alerta aos alunos: “Aproveitem estas oportunidades para conhecer pessoas e para começarem a criar as vossas redes de contactos, que são muito importantes, em particular em áreas como a de design e artes gráficas”.

Helder Nogueira
Hélder Nogueira
, em representação da Fujifilm, foi o primeiro convidado a falar sobre a inovação em impressão digital. Um tema desafiante que abordou com algumas questões históricas provocatórias, que prenderam a atenção dos alunos. Falou depois sobre a evolução da tecnologia e mostrou os pontos fortes do digital e do portefólio da marca.

A diferenciação a dar provas na Gráfica Simões

Ana Rita Simões, Rita Oliveira e João Oliveira, da Gráfica Simões partilharam a sua experiência no mercado de trabalho. Todos ex-alunos da ESTT, do curso de Design e Tecnologia de Artes Gráficas, falaram sobre a ponte entre o que aprenderam e o que executam no mercado de trabalho.

Os três jovens descreveram os serviços da gráfica e as dificuldades que encontram quando recebem artes finais de alguns clientes, onde persistem erros que seriam evitáveis se os designers pensassem nos passos seguintes. Ana Rita explica: “Quando fazemos uma peça de design é muito importante pensar no que é necessário para a produzir e por isso a disciplina de arte final, neste curso, é muito importante”.

Ana Rita Simões e João Oliveira

Deram a conhecer também a marca Ritta – Make a Different Day, que nasceu do trabalho de fim de curso de Ana Rita Simões, e floresceu na Gráfica Simões, propriedade dos pais, Adriano Simões e Madalena Silva.

Pensada para criação de convites para casamentos, batizados, aniversários e outras efemérides, a marca cresceu e tornou-se uma alavanca dos negócios e investimentos da gráfica, que necessitou investir na área dos acabamentos para se diferenciar. “Pensamos muito no design e na pós-impressão para que o cliente possa ter um produto com valor acrescentado”, diz a fundadora da Ritta.

Foram essas necessidades que permitiram, por exemplo, a aposta no corte e gravação a laser. “O laser permite-nos atingir uma definição muito grande que não conseguíamos com o cortante”, explica Ana Rita Simões.

A gráfica de Alvaiázere nasceu em 1986 após a aquisição da Gráfica de Cabaços e passou a ser propriedade integral da família Simões em 1999. Faz agora design gráfico, impressão digital, impressão offset, serigrafia, corte e gravação a laser.

O futuro é risonho, acreditam, já que a marca Ritta tem ajudado também a que os clientes conheçam melhor a Gráfica Simões e lhes peçam outros tipos de trabalhos.

Apesar de não nos ter sido possível acompanhar todo o programa, estava prevista ainda uma Conversa sobre Sebastião Rodrigues e sobre o livro “graficaturas”com a autora Maria João Bom, que é também Diretora da Licenciatura em Design e Tecnologia e Artes Gráficas, e Guilhermino Pires, fundador do curso de Tecnologia das Artes Gráficas.