fbpx

A Altri vai construir uma biounidade industrial na Galiza, com capacidade para produzir anualmente cerca de 200.000 toneladas de pasta solúvel e fibras sustentáveis, tendo em vista, principalmente, o fornecimento do sector têxtil.

Esta biounidade industrial estará capacitada para fornecer o cluster têxtil do Noroeste peninsular, contribuindo para o reforço da economia circular e descarbonização do setor.

Jose Pina AltriJosé Pina, CEO da Altri

A empresa assinou um Memorando de Entendimento com a Sociedade para o Desenvolvimento de Proxectos Estratéxicos de Galicia, S.L.* (“Impulsa”), para iniciar o projeto que se enquadra no “Next Generation EU” e no Plano Nacional de Recuperação e Resiliência Espanhol. Prevê-se ainda o desenvolvimento de um plano técnico, operativo e comercial, no contexto do Proyecto de Gestión Sostenible de los Bosques Gallegos.

“A celebração do Acordo definitivo depende da verificação de um conjunto de condições precedentes que, a verificarem-se satisfatoriamente -o que se estima que venha a ocorrer no decurso do segundo semestre de 2022 -criarão as bases para a sua formalização”, refere a empresa em comunicado.

A Impulsa é consórcio público-privado de direito espanhol, formado por entidades internacionais com sede na Galiza, denominado Sociedade para o Desenvolvimento de Proxectos Estratéxicos de Galicia, S.L que tem como principal objetivo desenvolver os projetos estratégicos da Galiza. Os acionistas da Impulsa são a Xunta (40%), Abanca (38 %), Reganosa (12 %) e Sogama (10 %).

A Altri é um grupo de referência na produção sustentável de pasta celulósicas, para múltiplas aplicações incluindo têxteis, de gestão florestal e produção de energia renovável.