fbpx

Desde que iniciou a pandemia da COVID-19, a Fujifilm Europe desenvolveu um plano de contingência, com diversas iniciativas. Em Portugal não foi diferente, com a unidade nacional a manter a atividade, com recurso ao teletrabalho e mantendo as equipas técnicas em prontidão, devidamente munidas de materiais de proteção, para dar resposta aos clientes.

Fujifilm Covid19© Fujifilm

O abastecimento de peças e consumíveis foi assegurado de imediato. “Foram delineadas medidas ativas para limitar o impacto logístico nos clientes, definindo um contacto diário com os parceiros de logística, e criando planos de contingência dedicados à produção e transportes, o que permitiu, até à data, reduzir eventuais perturbações inerentes a estes sectores”, refere Susana Máximo.

A equipa comercial também manteve uma atitude proativa, mantendo um contacto constante com os clientes. Algo que foi também essencial para colaborar com os outros países, com partilha de informação para que a Fujifilm se consiga preparar “para o futuro próximo e saber qual o modelo de negócio que o cliente quer para adequar as nossas soluções às necessidades reais nesta indústria”, explica Susana.

O mundo mudou e esta situação em particular tornou-nos ainda mais conscientes, mais atentos ao que podemos fazer de relevante para acompanhar esta mudança. Somos um grupo sólido, que estamos aqui e vamos continuar”, adianta.

Uma indústria com capacidade de adaptação

Sobre a indústria gráfica, a multinacional elogia-lhe a capacidade de adaptação: “Desde o início da era da digitalização, que tem vindo a enfrentar continuamente inúmeros desafios tecnológicos”. Considera que será inevitável que algumas empresas passem por dificuldades, sublinhando que os que continuam “terão, como ponto de partida, estas novas perspetivas, e tornar-se-ão mais fortes”.

A aposta na tecnologia digital é o caminho a seguir, diz a Fujifilm. “Existirão novas oportunidades, novos mercados para explorar, com a possibilidade de criar produtos que não podem ser produzidos na impressão tradicional”, comentam. “Qualquer decisão de investimento terá de ser tomada tendo em consideração estas questões comerciais, uma vez que a qualidade deixou de ser um problema”, concluem.

Helder Moreira Field Service Engineer Sistemas Gráficos FujifilmHelder Moreira - Field Service Engineer Sistemas Gráficos - Fujifilm

 

Outras áreas de negócio

Nas nossas publicações, abordamos maioritariamente a vertente gráfica e fotográfica da atividade da Fujifilm. Porém, são muitas as outras áreas de negócio em que a empresa atua, algumas das quais têm sido fulcrais na luta contra a pandemia do novo coronavírus. Realizam investigação e têm “dispositivos para testes e equipamentos de radiologia para detetar, rapidamente e com acuidade, as lesões. Existe ainda uma equipa dedicada ao projeto que irá dotar os radiologistas de ferramentas portáteis para que possam realizar exames, que podem ser visualizados em casa, sem ser necessário ir ao hospital”.

Essa polivalência dá a segurança necessária ao futuro do grupo, pois “permite manter a operacionalidade logística, proceder à entrega de consumíveis e equipamentos e adaptar-se para sobreviver”.