fbpx

Em 1997, o Protocolo de Kyoto estipulava que, até 2020, os processos industriais deveriam ser pelo menos 20% mais eficientes do que eram em 1990. Hoje, devido à tendência geral de maior sustentabilidade em toda a sociedade, metas ambiciosas de proteção do clima, e a atual crise de energia, há uma pressão crescente sobre a indústria gráfica para tornar todo o processo de produção ainda mais eficiente em termos de energia – e fazê-lo rapidamente.

Para dar resposta a isso, a Heidelberg lançou uma campanha destinada à indústria gráfica com informações, conselhos e dicas de especialistas sobre como aumentar consideravelmente a eficiência energética e, ao mesmo tempo, reduzir os custos.

Heidelberg Energieeffizizenz Kampagne

“O assunto da sustentabilidade e eficiência energética tornou-se um fator competitivo e um custo crucial para os fornecedores da indústria gráfica – e isso aplica-se igualmente aos nossos clientes e à própria Heidelberg”, diz Ludwin Monz, CEO da empresa.

Para lançar a campanha, a Heidelberg apresenta a eficiência energética da Speedmaster XL 106, com uma comparação entre o equipamento e a Speedmaster CD 102-6+L de 1990. Prova que o consumo de energia por 1000 folhas foi reduzido de 13,8 kWh para 8 kWh, ou seja 40%, graças às inovações e melhorias no sistema.

Além do investimento em novas máquinas, a fabricante refere que as gráficas também podem aumentar a eficiência energética ao otimizar a forma como utilizam os equipamentos. O consumo de energia aumenta de acordo com o aumento da velocidade de impressão, mas como o nível básico de consumo de energia é distribuído por mais folhas impressas, a eficiência geral energética melhora. Isto significa que uma máquina de impressão é mais eficiente quando um trabalho está a ser impresso à velocidade máxima – idealmente de forma totalmente automatizada – e quando, após esse trabalho, o sistema passa imediatamente para o próximo trabalho ou muda para o modo de espera se não houver mais nada para ser impresso.

“Quando se trata de eficiência energética em gráficas, embora o equipamento utilizado seja uma base importante, operar esse equipamento da melhor maneira possível é muito importante. Muitas vezes, é aqui que as empresas podem realmente fazer uma grande diferença. É precisamente neste ponto que surge a campanha da Heidelberg para uma maior eficiência energética e cria uma base para a utilização total do potencial pré-existente”, diz Eva Boll, diretora de ESG da empresa.

O segundo tema da campanha destaca o potencial em termos de economia oferecido pelas unidades periféricas para a Speedmaster, o que possibilita uma produção com eficiência energética. Depois abordará a questão da “manutenção”, revelando até que ponto os sistemas das máquinas, com manutenção regular, conseguem conservar recursos e melhorar o balanço de energia. Para complementar a campanha, a Heidelberg aposta em serviços de consultoria para que possa trabalhar com os clientes e identificar o potencial de economia de energia na gráfica.

Speedmaster XL 106 com dispositivo de medição de energia

A partir de abril de 2023, a Speedmaster XL 106 será fornecida com um dispositivo de medição de energia como standard, embora inicialmente apenas na Alemanha. Isto permitirá que os operadores monitorizem permanentemente o consumo de energia da impressora – medido em quilowatts-hora por 1000 folhas – a partir da estação de controlo. A leitura incentiva os operadores a trabalhar de maneira eficiente ou, como referido anteriormente, na velocidade máxima.