fbpx

A indústria europeia da pasta da pasta e do papel apoia a ação da União Europeia para salvaguardar as florestas mundiais e apela à concentração nos motores da desflorestação.

O anúncio foi feito após a Comissão Europeia revelar o projeto de regulamento sobre a desflorestação.

O próximo regulamento visa minimizar o risco de que as mercadorias associadas à desflorestação e à degradação das florestas sejam colocadas no mercado da UE.

pasta papel

A indústria europeia da pasta e do papel tem um interesse estratégico em manter a floresta global a crescer e saudável. O seu compromisso com práticas sustentáveis de gestão florestal impulsionou o seu envolvimento na reflorestação efetiva, na regeneração das áreas colhidas e na preservação da biodiversidade e de habitats valiosos, diz a Cepi.

“A experiência positiva do regulamento relativo à madeira da UE, introduzido há uma década para evitar que a madeira extraída ilegalmente seja utilizada nos mercados da UE, prova que a União pode dar o exemplo e utilizar a regulamentação para estimular uma melhor governança florestal nos países parceiros comerciais. Este é um domínio onde a Cepi e os seus membros têm uma experiência considerável, tendo apoiado desde há décadas a utilização de certificação florestal verificada por terceiros para provar uma gestão florestal responsável”, refere a associação da indústria.

No entanto, a Cepi considera que, para fazer mudanças reais no combate à desflorestação induzida por mercadorias, é crucial que os esforços visem os verdadeiros motores do problema. As mercadorias agrícolas que impulsionam a reconversão dos terrenos desempenham um papel importante no que respeita à desflorestação incorporada associada às importações da UE. Do ponto de vista global, uma recente avaliação internacional da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e Agricultura (FAO) confirmou que o papel da agricultura na desflorestação global é ainda mais prejudicial do que se pensava anteriormente. Atualmente, representa 90% da desflorestação global. Neste caso, as parcerias da UE para o desenvolvimento são vitais para atenuar pressões insustentáveis sobre as terras florestais, refere a associação.

A indústria refere que é necessário que haja mais discussão sobre os encargos colocados sobre os produtos da madeira, e que é necessário lutar contra os principais motores sistémicos por detrás da desflorestação: a expansão agrícola e a pobreza.

A Cepi sublinha ainda a importância de evitar um aumento desnecessariamente dos encargos para os operadores locais. Para o objetivo, o regulamento deve prever a possibilidade de utilizar os atuais sistemas globais de certificação florestal, como o do Forest Stewardship Council (FSC) e o Programme for the Endorsement of Forest Certification (PEFC), como instrumentos válidos para avaliar e mitigar os riscos ligados à desflorestação e à degradação das florestas.