fbpx

Em 2021, o mercado da impressão industrial, sobretudo de etiquetas e embalagens, permanecerá resiliente e continuará a desempenhar um papel importante, dizem os especialistas da Konica Minolta.

As crises como a que resulta da Covid-19 estão a acelerar tendências, nomeadamente o crescimento da automatização, do e-commerce e da transição do analógico para o digital.

Perante os cenários traçados, a Konica Minolta afirma que vai continuará a apoiar as empresas ao disponibilizar um portfólio adequado às necessidades dos clientes. Vai reforçar a presença digital, nomeadamente através do desenvolvimento de um Showroom Virtual, que permite conhecer as soluções na área da impressão profissional e industrial, funcionalidades e benefícios, através de uma experiência interativa e adaptada à nova realidade.

Quais são então as três principais tendências apontadas pela multinacional?

impressao

Maior procura pela tecnologia digital

Estudos indicam que há um aumento de pedidos e de aconselhamento sobre a transição de equipamentos tradicionais de impressão de etiquetas para equipamentos de impressão digital.

As gráficas tradicionais estão a ser forçadas a expandir a sua oferta de serviços de impressão à medida que os volumes de offset tradicional diminuem com o tempo.

Olhando para o futuro, o setor de rótulos e etiquetas, por exemplo, continuará a suprir uma necessidade básica enquanto ferramenta vital para o fornecimento de informações importantes referentes a um produto.

Os setores Alimentar & Bebidas são apenas alguns dos que continuarão a crescer para a impressão digital. Em março de 2020, em plena pandemia, a Konica Minolta confirmou esta tendência através de um estudo, já que os volumes de página impressos nos seus equipamentos AccurioLabel, por toda a Europa, cresceram 150% em comparação com o mês anterior.

Com o aumento do teletrabalho e de escritórios locais, ofertas personalizadas e individualizadas terão cada vez mais procura. Um exemplo é o desenvolvimento da produção local, como o aumento de pequenas marcas de produção artesanal.

A produção digital de etiquetas tem desempenhado um papel importante na cadeia de fornecimento deste tipo de tendências que se mostram inabaláveis.

Rápida adaptação e recuperação do mercado

 

Um estudo realizado pela IDC, designado “Rescaldo da Covid-19 na impressão profissional e industrial” aposta que a crise pandémica atual criou oportunidades, nomeadamente nos setores das embalagens, rótulos, decoração, sinalética e têxtil.

Enquanto os volumes de impressão a jato de tinta e toner caíram drasticamente durante o primeiro confinamento obrigatório, em toda a Europa, a indústria viu-se forçada a expandir a sua oferta de serviços de impressão digital de forma a manter-se relevante.

Embelezamento digital é um fator de crescimento

É um mercado que continuará a ser um impulsionador de crescimento no setor e, ao mesmo tempo, uma forma lucrativa de destacar da concorrência, à medida que o comportamento do consumidor se desenvolve nesse sentido.