fbpx

A World Photography Organisation anunciou os vencedores e finalistas do Concurso Aberto dos Sony World Photography Awards 2020, que reconhecem as melhores imagens individuais de 2019.

Mais de 100 fotógrafos foram selecionados como finalistas do concurso de 2020, além dos dez vencedores das categorias.

Cada vencedor receberá o mais recente equipamento de imagem digital da Sony e terá a oportunidade de competir pelo título de Fotógrafo do Ano do Concurso Aberto e por um prémio de 5000 dólares americanos.

O vencedor geral do Concurso Aberto será anunciado a 9 de junho nas plataformas online da World Photography Organisation e da Sony.

Sony World Photography Awards

 

Os dez vencedores das categorias são:

ARQUITETURA

Rosaria Sabrina Pantano(Itália) com Emotional Geography, uma imagem a preto e branco de 38° Parallelo, uma escultura em forma de pirâmide de Mauro Staccioli que se encontra no ponto exato onde as coordenadas geográficas tocam no paralelo 38.

CRIATIVA

Suxing Zhang (China Continental) com Knot, um retrato de uma jovem com uma "collage" de elementos simbólicos. Esta imagem única a preto e branco faz parte da série Hua (que significa "flor" em chinês), que aborda as flores como metáforas da feminilidade.

CULTURA

Antoine Veling (Austrália) com Mark 5:28, uma fotografia que capta o momento em que membros da plateia foram convidados a subir ao palco para dançar num concerto de Iggy Pop, realizado na Sydney Opera House, a 17 de abril de 2019. Retratando Iggy Pop no meio de uma multidão de fãs a dançar, a imagem foca-se no cantor, numa mulher que tenta tocar-lhe e num assistente de palco que tenta manter o público afastado. A cena, que foi comparada a uma pintura de Caravaggio, invoca uma passagem bíblica: "Porque dizia: Se tão somente tocar nas suas vestes, sararei." (Marcos 5:25-34, linha 28).

 

PAISAGEM

Craig McGowan (Austrália) com Ice Reflections, uma imagem de um icebergue solitário, tendo como cenário os fiordes do Parque Nacional do Nordeste da Gronelândia. O icebergue e a paisagem envolvente são perfeitamente refletidos nas águas cristalinas do rio, resultando numa fotografia artística e abstrata.


MOVIMENTO

Alec Connah (Reino Unido) com Going Down!, um registo do momento em que as quatro torres de refrigeração da Central Elétrica de Ironbridge, em Shropshire, foram demolidas a 6 de dezembro de 2019.

MUNDO NATURAL E VIDA SELVAGEM

Guofei Li (China Continental) com Tai Chi Diagram,captada no Botswana, a imagem mostra duas chitas a lavarem-se mutuamente após uma caçada bem sucedida – a sua posição no enquadramento assemelha-se ao símbolo de Yin e Yang.

RETRATO

Tom Olham (Reino Unido) com Black Francis, um retrato a preto e branco, originalmente captado para a revista MOJO, do vocalista da banda Pixies Charles Thompson (também conhecido como Black Francis). Ao aproximar-se, Olham - um experiente fotógrafo de retratos - tomou consciência das inúmeras sessões fotográficas penosas a que Charles se teve de sujeitar e pediu-lhe que demonstrasse a sua frustração relativamente ao processo. A imagem resultante, que retrata o cantor com as mãos na cara, captou o gesto perfeito e foi utilizada como a principal imagem do artigo.


NATUREZA MORTA

Jorge Reynal (Argentina) com A Plastic Ocean, uma fotografia de um peixe morto que parece estar a tentar respirar dentro de um saco de plástico. A imagem visa realçar o impacto da crise da poluição provocada pelo plástico nos nossos oceanos.

FOTOGRAFIA URBANA

Santiago Mesa (Colômbia) com Colombia Resiste, a fotografia documenta um manifestante na cidade de Medellín, onde os trabalhadores e vendedores de rua participavam numa marcha que foi dispersa pela polícia de intervenção de Medellín. Esta manifestação é uma de muitas que tiveram lugar na América Latina nos últimos anos, devido, entre outras razões, ao aumento do custo de vida, à desigualdade e à falta de oportunidades.

VIAGEM

Adrian Guerin (Austrália) com Riding a Saharan Freight Train, uma imagem captada do topo da última carruagem do comboio de minério de ferro na Mauritânia, durante a sua longa viagem de 700 km entre a localidade costeira de Nouadhibou e Zouérat no deserto do Saara. Com 2,5 km de comprimento, é um dos comboios mais longos do mundo e transporta mais de 200 carruagens carregadas de pedras.

Algumas das imagens que mais se destacaram da lista de finalistas deste ano incluem: Pinball Pier de Stephen Tomlinson (Reino Unido, Arquitetura), uma vista aérea do Brighton Pier iluminado ao anoitecer; Metamorphosis de Stanislav Stankovskiy (Federação Russa, Criativa), uma imagem cinematográfica de faróis de automóveis a iluminar a escuridão, numa noite de nevoeiro; Rivers de Or Adar (Israel, Paisagem), uma vista superior da rede de rios e riachos numa área pantanosa perto de Veneza, Itália; That’s Nothing to Laugh About de Adam Stevenson (Austrália, Mundo Natural e Vida Selvagem), uma fotografia de um kookaburra solitário pousado num ramo de árvore queimado, a contemplar os danos provocados por um dos incêndios mais devastadores que afetaram a Austrália; e Mother Love de Ottavio Marino (Itália, Retrato), uma ilustração comovente dos laços profundos que existem entre uma mãe e o seu filho.

As imagens vencedoras e finalistas serão divulgadas em todos os canais e plataformas online da World Photography Organisation, através de conteúdos dedicados como vídeos, apresentações e sessões de esclarecimento. Isto acontece em consequência do cancelamento da exposição dos Sony World Photography Awards 2020 devido à atual pandemia.