fbpx

A TECLA, habitação orgânica, autossustentável e ecológica, construída com uma argamassa de materiais recicláveis e naturais, como argila, é uma das mais recentes novidades em arquitetura e chega ao mercado através da empresa italiana 3D Wasp.

WASP teamEquipa WASP

A empresa italiana pretende que a tecnologia de impressão 3D seja utilizada para combater a falta de habitação e consegue fazer a impressão de toda a estrutura recorrendo a múltiplas impressoras 3D a operar em simultâneo.

O modelo projetado pela WASP e pela MC A - Mario Cucinella Arquitetos é adaptável a qualquer clima e contexto.

A TECLA é, na verdade, a realização de um desafio que levou a geometria da impressão ao seu limite físico. O valor das matérias-primas locais é amplificado pelo design digital. A solução de cúpula dupla tornou possível cobrir ao mesmo tempo os papéis de estrutura, telhado e revestimento externo fazendo a casa alta e melhorando o desempenho em todos os aspetos.

«Da terra sem forma para a terra em forma de casa. Hoje temos o conhecimento para construir sem impacto em um simples clique”, diz Massimo Moretti, Fundador da WASP.

Desde 2012, a WASP (Projeto de Poupança Avançada do Mundo) têm vindo a desenvolver construção viável através de processos baseados nos princípios da economia circular e da fabricação digital. No mercado a 2021, a WASP produz casas em pouco tempo e da forma mais sustentável.

A Crane WASP é a primeira impressora modular e multinível do mundo, projetada para construir colaborativamente obras arquitetónicas extensas. O sistema está configurado de acordo com as necessidades do projeto e define a estrutura de um local de construção seguro. Cada unidade de impressão tem uma área de 50 metros quadrados e, portanto, permite construir módulos de vida independentes, de qualquer forma, em poucos dias.

A TECLA pode ser sintetizada em 200 horas de impressão, 7000 códigos, 350 camadas de 12 mm, 150 km de extrusão, 60 metros cúbicos de materiais naturais para um consumo médio inferior a 6 kW.

Maximo Moretti Mario CucinellaMaximo Moretti e Mario Cucinella

A TECLA foi desenvolvida graças à investigação realizada pela SOS - Escola de Sustentabilidade, uma escola profissional fundada por Mario Cucinella que combina educação, investigação e prática.

A colaboração entre a WASP e MC A tem sido apoiada pelo Mapei, um produtor mundial de construção, que estudou os materiais de argila e identificou os componentes-chave dentro da mistura de terra crua para criar o produto otimizado. Os testes estruturais foram efetuados pela Engenharia de Milão, consultoria de engenharia, que funcionou na otimização da forma, a fim de criar uma estrutura de apoio.

Os quadros, personalizados foram projetados e produzidos por Capoferri, uma empresa especializada

em quadros arquitetónicos e o paisagismo foi curado por Frassinago, uma empresa multidisciplinar que inclui um estúdio de design que lida com a arquitetura paisagística e especializada no setor de jardinagem e exterior.

A Casa do Arroz fez a consultoria sobre biomateriais derivados de resíduos de cultivo de arroz, casca de arroz e palha de arroz, que afetou o desempenho térmico e o conforto da vida conforto no edifício.

O projeto de iluminação, desenvolvido tanto internamente como externamente foi desenvolvido por Lúcifer

O estilo totalmente natural foi desenvolvido pela Primat Srl e as soluções de madeira para o mobiliário interior e os elementos de acabamento são todos assinados por Madeira de Imola, que apoiou o projeto na personalização de painéis e tops em madeira natural. Finalmente, a Rio Cefla criou as soluções elétricas em termos de funcionalidade e estética para o máximo uso confortável de espaços interiores. A Sociedade de Advogados Micera apoiou o projeto oferecendo a sua assistência jurídica.

A instalação final da TECLA e a sua apresentação estão agendadas para a Primavera de 2021