fbpx

O cancelamento dos grandes festivais tem um enorme impacto no rendimento das empresas gráficas fornecedoras. A CISION revelou ainda que estima a perda de retorno mediático para as marcas avaliado em mais de 190 milhões de euros.

O fim do estado de emergência marcou o início do desconfinamento e a reabertura gradual da economia, mas só hoje, após a reunião de Conselho de Ministros, saberemos as medidas relativas aos festivais de verão.

Designed by Bedneyimages / Freepik

De acordo com uma projeção da CISION, em condições normais, em 2020, os festivais mais mediáticos seriam o Rock in Rio, NOS Alive, MEO Sudoeste, Super Bock Super Rock, Vodafone Paredes de Coura, O Sol da Caparica, NOS Primavera Sound, EDP Vilar de Mouros, MEO Marés Vivas e EDP Cool Jazz.

O NOS Alive foi mencionado em quase seis mil notícias, entre setembro de 2018 e agosto de 2019, atingindo uma presença superior a 23 horas nas rádios e televisões nacionais.

Além de um Rating CISION 2019 de 99, colocando-o na categoria Gold, o festival detém ainda os selos Top Media e Top Social Media, atribuídos às iniciativas com melhor desempenho nos media e nas redes sociais, respetivamente.

O Rock in Rio Lisboa, que já adiou a próxima edição para 2021, iguala o rating, a categoria e os selos do festival de Algés; tal como o Super Bock Super Rock, que difere apenas no Rating CISION 2019, de 91.

Em segundo lugar na Maratona dos Festivais de Verão - Ranking CISION 2019, o Vodafone Paredes de Coura foi referido em quase três mil artigos. Com um Rating CISION 2019 de 91, é um evento Gold e detém ainda o selo Media.

Conhecido por marcar o início da temporada dos festivais de verão, o NOS Primavera Sound adiou a realização de junho para setembro.