fbpx

Enfrentemos a realidade: a indústria – e o mundo – têm estado numa briga com a pandemia Covid-19 e penso que levará algum tempo até que tudo regresse ao normal e as coisas voltem a ser como eram, e não apenas dentro da nossa indústria, mas também em muitas outras.

Os fornecedores de impressão devem estar prontos para um aumento no negócio à medida que as coisas começam a voltar ao normalOs fornecedores de impressão devem estar prontos para um aumento no negócio à medida que as coisas começam a voltar ao normal

 

Apesar dos desafios óbvios que as gráficas continuam a enfrentar, penso que, aproveitando os seus pontos fortes e capacidades, pode haver oportunidades a aproveitar, tanto atualmente, enquanto continuamos a suportar restrições e bloqueios, como quando finalmente colocarmos o coronavírus no espelho retrovisor.

Neste momento, é imperativo que os fornecedores de impressão tenham os mecanismos certos para manter os negócios e servir os clientes onde puderem – através da orçamentação e encomendas online que permitem, por exemplo, ter uma oferta versátil e ampla de aplicações.

Os fornecedores de impressão devem permanecer proativos e manter-se próximos dos clientes – mesmo que o negócio esteja atualmente tranquilo – ao mesmo tempo que oferecem uma forma oportuna e responsiva de lidar com outras necessidades.

Por exemplo, restaurantes e outros pontos de venda de comida podem ter mudado a sua oferta apenas para o serviço de take-out, reduzido os seus menus ou alterado horários. Provavelmente ainda terão de comunicar isto aos clientes e a comunicação impressa tradicional é uma forma de o fazerem. O mesmo pode acontecer com pubs e bares.

Também é uma boa ideia contactar novos clientes para verificar quando é que os seus negócios vão voltar a funcionar, e questionar se precisam de material para promover a sua reabertura.

Preparar para o regresso

Sarit Tichon, Senior VP Worldwide Sales SAiSarit Tichon, Senior VP Worldwide Sales SAiUma vez que as restrições são facilitadas ou levantadas, provavelmente haverá um aumento inicial no negócio, por pelo menos um ou dois meses, já que os clientes dos clientes das gráficas que foram forçados a cessar temporariamente o negócio de repente têm as algemas removidas. 

Os clientes vão procurar compensar o tempo perdido pelo que haverá oportunidades para os fornecedores de impressão. Mais uma vez, os estabelecimentos do sector do retalho e da restauração estarão, sem dúvida, ansiosos por promover as suas reaberturas, assim que tiverem luz verde.

Do ponto de vista prático, é evidente que os fornecedores de impressão devem assegurar que dispõem de consumíveis adequados para fazer face à procura e satisfazer o aumento imediato das empresas durante um ou dois meses, quando as coisas começam a voltar ao normal.

Como sempre, independentemente de estar a sair de uma crise como a que estamos a combater agora, ou num clima de negócios mais favorável, é sempre bom olhar para a diferenciação das aplicações.

Continuam a existir inovações dentro desta indústria, e se você é um fornecedor de impressão, é aconselhável olhar para a forma como as inovações tecnológicas podem ser usadas e talvez combinadas  para fortalecer a oferta

A utilização de impressão 3D dentro de projetos de artes gráficas impressas em 2D, para melhorar a decoração de veículos e outras aplicações de exposição, é apenas um exemplo.

Dando um passo mais além, existem até fornecedores que estão a integrar a tecnologia de realidade aumentada como parte da sua oferta, dando aos clientes uma representação virtual de como os gráficos impressos seriam, in situ, no mundo real..  Essencialmente, usar diferentes tecnologias para alargar a oferta de serviços é o caminho a seguir.

Este é, naturalmente, um período sem precedentes para a maioria das empresas – especialmente para aquelas que podem ser competitivas na melhor das alturas. Esperemos que, mantendo-se na frente, mantendo-se perto dos clientes e respondendo às suas necessidades em mudança, os fornecedores de impressão possam permanecer otimistas e chegar à luz no fim do túnel.

 

Por Sarit Tichon, Vice-Presidente Sénior, Worldwide Sales, SAi