fbpx

A agência Do It On, em apoio à Worldcom Group, divulgou os resultados de um estudo de confiança efetuado junto de 54 000 executivos (CEOs e CMOs) em todo o mundo, recorrendo a Inteligência Artificial. Os resultados mostram que os níveis decresceram nos últimos seis meses e que os executivos portugueses atingiram o volume mais reduzido a nível mundial.

O Worldcom Confidence Index apresenta uma análise efetuada durante o mês de abril de 2020 aos conteúdos online de mais de 54 000 diretores gerais e diretores de marketing. A maior quebra de confiança a nível global sucedeu em Portugal (redução de 9%), enquanto os Estados Unidos viram o maior crescimento (25%), passando da 14ª posição para a liderança do Worldcom Conficence Index.

Analise rawpixel.com freepik© rawpixel.com / freepik

“É interessante ver como os líderes portugueses estão receosos e com uma negatividade elevada quanto ao futuro. Facilmente conseguimos alinhar estes dados com os dados pandémicos e pela ansiedade e alguma imprevisibilidade natural de um mercado satélite como é o português, o qual depende muito da forma como reagem os seus mercados externos preferenciais.”, reforça Fernando Batista, Diretor Executivo da Do It On.

“O Impacto da crise COVID-19 é fácil de perceber nos resultados do Worldcom Conficence Index no mês de abril. Isto vê-se pelo enorme volume de conteúdos partilhados e debatidos sobre tópicos ligados a esta crise, que sem dúvida contribuiu para o declínio da confiança em 19 dos 24 temas do estudo”, refere Roger Hurni, Chairman do The Worldcom Public Relations Group. “Esta é uma das razões pelas quais queremos manter uma monitorização contínua sobre a confiança e receios dos líderes numa base mensal regular, de modo a obtermos dados reais e proveitosos que nos possam indicar a retoma após a pandemia.”

 

 Líderes menos confiantes no Estado e em mudanças legislativas

 Enquanto os governos procuram dar respostas à crise, os líderes empresariais estão menos confiantes no que diz respeito à gestão governamental e às mudanças legislativas. Este é um tópico que se encontra no fundo da tabela do Worldcom Confidence Index.

Os líderes empresariais norte-americanos mostram-se particularmente preocupados neste ponto, ocupando a terceira posição do fundo da tabela da confiança neste ponto. A gestão de crise também teve um forte impacto na confiança, alcançando o quinto posto mais baixo no relatório.

“O ritmo das mudanças governamentais e legislativas causadas pela crise tem um grande impacto na confiança”, afirma Hurni. “Os líderes estão menos confiantes na capacidade de os governos lidarem com todo este cenário, e levando a não ter confiança nas suas próprias capacidades de gestão desta crise, a qual se encontra no top 5 das suas preocupações.”

WCI Chart 04 2

 

Influencers são audiência #1 para líderes mas interação cai 35%

Em 2019, os Diretores Executivos encontravam-se mais preocupados com o alcance dos influencers. E, embora os influencers se tenham mantido enquanto audiência #1 na atenção dos líderes, o nível de interação caiu em 35%.

Contudo, a confiança em alcançar influencers aumentou consideravelmente – 68% desde novembro de 2019. A audiência que registou um maior aumento de atenção é a dos fornecedores, num valor de 273%. Embora configurando-se ainda enquanto audiência na 6ª posição, este crescimento sugere que a crise pandémica fez com que os líderes focassem a sua atenção em assegurar as suas cadeias de valor e de abastecimento.

 

WCI Chart 08


 

O impacto e o papel dos media tornaram-se tópico #1

 

A pandemia COVID-19 conferiu aos media um papel central. Os líderes estão também ligeiramente (5%) mais confiantes em lidar com os agentes mediáticos.

Reter talento, capacitar e requalificar funcionários, bem como a interação entre funcionários estão entre os cinco principais tópicos. A capacitação dos colaboradores vê a maior subida de confiança (de 17%); contudo, a confiança em outros tópicos relativos aos funcionários foi afetada. Atrair talento registou a maior queda (de 13%).

 

Respostas à pandemia COVID-19 geram um enorme aumento no que respeita à interacção com tópicos

 

Os grandes responsáveis pelo aumento de interações nestes tópicos relacionam-se com respostas à pandemia COVID-19: mudanças governativas e legislativas aumentaram 1280%; acordos de trocas globais e tarifas aumentaram 779%; Gestão de crise aumentou 472%. A confiança em lidar com alguns destes tópicos é baixa em alguns países, de que é exemplo os EUA, com a quarta pontuação mais baixa no tópico relativo aos acordos de trocas globais e tarifas.

A interação com tópicos relacionados com o impacto da forma como os líderes políticos comunicam nas redes socias aumentou também – em 419%. França viu o maior aumento de confiança no que diz respeito a este tópico – em 9%. Por outro lado, a Austrália registou a maior queda – em 14%. Os EUA caem 2%, encontrando-se, assim, abaixo da média de pontuação confiança global.

WCI Chart 02 2

Plásticos e o efeito Weinsten são temas atípicos

Embora muitos dos resultados possam ser diretamente relacionados com a crise da COVID-19, existem elementos que aparecem contra esta tendência, mostrando que os líderes continuam a partilhar o seu foco também com outros assuntos.

O tópico sobre assédio sexual aumentou massivamente em 451% e a confiança em lidar com esta questão foi o segundo valor mais baixo do Índice. Reduzir plásticos e outros assuntos relacionados com sustentabilidade foram um novo tópico. Mas os líderes parecem bastante confiantes no que respeita este último, ocupando a 3ª pontuação mais elevada de todo o Índice.

“Apesar da natureza absorvente da crise da COVID-19, não é este o único tópico no qual se interessam os Diretores Executivos,” reforça Hurni. “O efeito Weinstein e o foco global no plástico significam que o assédio sexual e a sustentabilidade têm vindo a adquirir maior atenção. É um lembrete oportuno para que todos os líderes não se esqueçam de outros assuntos que podem igualmente moldar o seu futuro assim que a pandemia COVID-19 tiver passado.”

O The Worldcom Confidence Index realça as preocupações/confiança sobre 24 tópicos e seis públicos. Destacamos um Top 10 de conclusões à qual apelidamos de “The Worldcom Confidence 10.”

 

The Worldcom Confidence 10

#1 Níveis de confiança contunam a derrapar – 9.5% abaixo

  • Os Estados Unidos são os que mais crescem (25%), mas os níveis de confiança continuam abaixo dos níveis de 2018.

#2 Mudanças governamentais e legislativas captam enorme aumento da atenção dos líderes (mais 1280%) e os níveis mais baixos de confiança.

#3 No meio da crise COVID-19, a gestão de crise alcança a quinta classificação mais baixa do Worldcom Confidence Index.

#4 Os influenciadores mantêm-se como a audiência #1, mas os fornecedores vêm um crescimento e preocupação na atenção dos líderes – mais 273%.

#5 O impacto e o papel dos media tornaram-se no tópico #1 da atenção dos líderes

#6 Tópicos relacionados com os colaboradores continuam a estar no topo da agenda dos líderes

  • Retenção de talentos – tópico #2
  • Reciclagem de competências e novas competências – tópico #3
  • Relacionamento com Colaboradores – tópico #5
  • Migração Económica – tópico # 6
  • Tópicos relacionados com colaboradores ocupam quatro dos seis primeiros lugares da agenda dos líderes

#7 Plásticos e efeito Weinstein são os novos temas no Index, dominado pelo impacto do COVID-19

  • O tópico sobre assédio sexual aumentou de modo massivo em 451% e a confiança na gestão deste tema é a segunda mais baixa do Index
  • A redução de plásticos e outros temas de sustentabilidade são o novo tópico que ocupa o #4 do Index. Mas os líderes parecem estar confiantes na gestão deste tema com o terceiro melhor resultado em todo o Worldcom Confidence Index

#8 Resposta à pandemia COVID-19 leva a um enorme aumento de interesse e interação sobre o tema

  • Mudanças Governamentais e Legislativas: aumentou em 1280%
  • Tarifas e Acordos de Comércio Globais: aumentou em 779%
  • Gestão de Crise: aumentou 472%

#9 O impacto da forma como os líderes políticos comunicam nas redes sociais aumentou em 419%

  • França vê o maior aumento de confiança relativamente a este tópico – crescimento de 9%
  • Austrália vê a maior queda (14%). Os Estados Unidos desceram 2% e encontra-se abaixo da média global do índice de confiança.

#10 Os líderes com mais de 65 anos são os que se encontram mais confiantes – naturalmente a voz da experiência de já terem atravessado diversas crises

  • Os líderes da Geração X são os que se encontram com menos confiança, e são os únicos abaixo da média de confiança global.

Metodologia

O estudo foi realizado a uma escala global e em nove idiomas diferentes, pois os dados foram capturados por meio de uma abordagem com inteligência artificial (IA). A empresa de pesquisa escolhida, Advanced Symbolics Inc (ASI), desenvolveu um método patenteado de construir amostras representativas e, em seguida, capturar informações com sua ferramenta de IA.