Log in

Fedrigoni lança PULP

pulp3De três em três meses, a Pulp promete trazer notícias sobre o mundo do papel e apresentar personalidades que actuam na esfera da comunicação visual. A iniciativa é da Fedrigoni e conta com o desenvolvimento da Eye Magazine, sob a supervisão editorial de John Walters e do director artístico Simon Esterson.


"Técnicas de impressão, fontes, design, projectos gráficos e editoriais, ilustrações, fotografias, ficheiros, intercâmbio de ideias com as pessoas que põem tudo isto em prática e os papéis que utilizam para os seus projectos: estes são os temas que a Pulp abordará. A comunidade com a qual a Fedrigoni e o papel para artes gráficas se relacionam diariamente inclui gráficas, artigos de papelaria, editoras, fotolitografia, designers, ilustradores, fotógrafos e artistas criativos que permanentemente procuram novos estímulos e, com isso, fontes de inspiração. A Pulp pretende interligar todas estas vertentes" refere a Fedrigoni, através do Clube dos Amantes do Papel.


A edição de lançamento dedica-se ao mundo da impressão digital e conta com uma entrevista a Rino Maccaccaro, conservador do arquivo histórico da Fedrigoni. Uma retrospetiva do mundo das ilustrações de Beppe Giacobbe e destaque para a semana do design de Milão, são apenas alguns temas tratados. A revista vai ser apresentada a 11 de Abril.

Polícia impede chegada do papel aos jornais da Venezuela

imprensa-venezuelaA Guarda Nacional Bolivariana impediu a entrada de papel jornal enviado a partir da Colombia para os jornais da Venezuela. A iniciativa faz parte do projeto "Todos somos Venezuela. Sem liberdade de imprensa não há democracia". Treze jornais da Venezuela deixaram de ser publicados e 17 diminuiram a edição por falta de papel jornal.

A Associação Colombiana de Editores de Jornais e Média havia enviado dois caminhões com 52 toneladas de papel. A ideia é auxiliar a imprensa venezuelana, que tem dificuldades em importar papel por causa do câmbio implantado pelo governo de Nicolás Maduro.

No câmbio normal, um dólar valer cerca de 6,30 bolivarianos e no câmbio implantado pela Venezuela, o dólar chega a ser comprado por valores dez vezes superiores. Devido às regras fiscais, as empresas só podem operar com o câmbio oficial do governo.

Na Venezuela, o papel será levado para Barquisimeto para ser utilizado pelo jornal El Impulso, que é o diário mais antigo do país. O restante seguirá para Caracas para ser usado pelos jornais El Nacional e El Nuevo País, que são os mais afectados pela restrição.

A medida é simbólica e apenas deve dar para 15 dias de circulação dos jornais em causa. O objectivo é também chamar a atenção de outros meios da região para aderirem à iniciativa de cederem parte de seus stocks de papel aos diários venezuelanos.

A Sociedade Interamericana de Imprensa (SIP) também pediu ao governo para não impor restrições à remessa de papel.

Mosquito iguala participação de Oliveira na Controlinveste

ng1073164António Mosquito detem agora uma posição de 27,5% na Controlinveste, empresa proprietária de títulos como o Diário de Notícias e a TSF. O empresário angolano participou num aumento de capital da Controlinveste Conteúdos, garantindo uma posição igual à de Joaquim Oliveira, o que se cifrou no montante de 10,4 milhões de euros.

O aumento de capital contou ainda com 5,69 milhões de euros de Luís Montez e com uma conversão de créditos em capital por parte do BES e do BCP. Neste momento, a Controlinveste Conteúdos detém um capital social de 37,9 milhões de euros.

António Mosquito investiu 80 milhões de euros em Portugal, após ter comprado a maioria do capital da Soares da Costa Construção.

Freeport reformula revista Free

FREEA revista de estilo do Freeport, a Free, surge renovada, com um conceito editorial e grafismo criados de raiz para refletir o melhor da moda e glamour presentes nas 140 lojas do outlet. Criada em 2009, a revista Free torna-se agora multiplataforma sendo a publicação de 60.000 exemplares complementada por uma versão digital em formato responsive design e disponível para leitura online, em smartphone e tablet nos sistemas iOS e Androd.

De acordo com Catarina Tomaz, diretora de marketing do Freeport “A reformulação da Free foi um processo completo, desde a imagem, conteúdo, distribuição incluindo a mudança de parceiro estratégico que recaiu na escolha da Cofina, capitalizando a larga e reconhecida experiencia em revistas de moda como a Máxima e Vogue. Com a nova Free vamos focar-nos naquilo que mais interessa aos nossos leitores que é a nossa oferta e, de uma forma muito clara e muito forte, no nosso posicionamento: produto, marca e preço. A passagem para o paradigma multiplataforma é um passo natural que faz todo o sentido quando as novas tendências de leitura passam cada vez mais pelos dispositivos móveis, e estamos certos que a Free terá um público ávido também na sua nova versão digital.”

Lançada em maio de 2009 a revista Free conta agora com uma tiragem de 60.000 exemplares sendo produzida pela área de Customer Publishing da Cofina media.

A Mesa dos Portugueses com o CM

CM A Mesa dos PortuguesesO Correio da Manhã, diário do grupo Cofina Media, vai reforçar as suas edições de domingo com a oferta da coleção “A Mesa dos Portugueses”. Composta por sete livros, esta coleção reúne as receitas enviadas pelos leitores do Correio da Manhã por ocasião do concurso nacional de gastronomia “A Mesa dos Portugueses”, uma iniciativa promovida pelo jornal com o objectivo de recolher as melhores receitas regionais e estimular a confeção de pratos com produtos de origem portuguesa. Os sete livros são guias passo-a-passo com mais de 250 receitas, vencedoras, finalistas e outras selecionadas do concurso “A Mesa dos Portuguesas”.

A publicação dos sete títulos de “A Mesa dos Portugueses” é totalmente grátis com a compra do jornal, estando dividida em sete temas: “Sobremesas”, “Bacalhau”, “Sopas & Entradas”, “Carne”, “Peixe & Mariscos”, “Bolos & Bolinhos” e “Pratos Típicos”.

O Correio da Manhã procura, desta forma, continuar a gerar valor para os seus leitores, disponibilizando gratuitamente uma obra que agradará a todos os curiosos pelos segredos da cozinha tradicional portuguesa. Para a sua promoção, foi criada uma campanha multimeios que envolverá televisão, imprensa, rádio, internet e outdoors.

Nº Entrega

Título

Na banca

1

Sobremesas

09/Março

2

Bacalhau

16/ Março

3

Sopas & Entradas

23/ Março

4

Carne

30/ Março

5

Peixe & Mariscos

06/Abril

6

Bolos & Bolinhos

13/ Abril

7

Pratos Típicos

20/ Abril

 

Editorial Presença cria chancela autónoma

books applesA Editorial Presença acaba de criar uma nova chancela autónoma que terá Simona Cattabiani como directora editorial. Com um longo percurso no mundo editorial, a antiga responsável da Civilização Editora assume o projecto de lançar uma nova chancela nacional (o nome será anunciado em breve), que vai ter por missão acrescentar novos conteúdos ao panorama editorial português e aprofundar a relação entre autores, livreiros e leitores. O seu catálogo irá pautar-se por um carácter generalista, e as primeiras edições serão reveladas ainda em 2014.

Simona Cattabiani está ligada ao mundo editorial desde 1995, ano em que começa a colaborar com a Editora Dorling Kindersley, em Londres. Em 1998, muda-se para Lisboa, e após uma colaboração na Exposição Universal de Lisboa (Expo-98), ajuda a estabelecer uma parceria entre a Dorling Kindersley e a Civilização Editora. A seguir, exerce as funções de directora editorial da Civilização Editora, responsável pela edição de todo o seu catálogo até fim de Novembro de 2013.
A nova chancela irá beneficiar de uma das melhores e maiores redes de distribuição e colocação nos diversos pontos de venda em Portugal, e dos mesmos recursos internos e sinergias da Editorial Presença. A marca consolidará a Editorial Presença enquanto grupo, numa iniciativa que se segue à parceria com a Marcador Editora, celebrada em 2012.

100 homens pela igualdade, na Máxima

JorgeCorrulaA revista Máxima desafiou 100 homens a calçar sapatos de salto alto em nome dos direitos da Mulher, numa iniciativa que culmina com um conjunto de ações solidárias a favor da Laço, na luta contra o cancro da mama. Na edição de Março apresentam os 11 pioneiros que aceitaram o desafio.

A violência doméstica – que em 2013 matou 33 mulheres em Portugal –, as desigualdades salariais, os obstáculos no mundo do trabalho, a sobrecarga com as tarefas domésticas são algumas das bandeiras hasteadas por figuras como o actor Ricardo Carriço, o realizador Ruben Alves, o cirurgião plástico José Rosa, o jogador de râguebi Gonçalo Uva ou os músicos Kalaf e Samuel Úria, entre outros.

Luís Onofre desenhou e produziu, em exclusivo para ‘100 Homens Sem Preconceitos – Um Passo pela Igualdade’, stilettos em tamanho para pés masculinos. O projeto vai ser lançado, a 8 de Março, o Dia Internacional da Mulher, para alertar para as desigualdades de género que ainda persistem na sociedade portuguesa.

Sofia Lucas, diretora da Máxima, desvenda um pouco mais: “Porque estas questões não se resolvem num dia, vamos continuar a iniciativa ao longo do ano. Para tal, contamos com um grupo muito heterogéneo de homens, profissionais de todas as áreas, que partilham a convicção de que esta batalha só será ganha se homens e mulheres se unirem.

Ao longo dos próximos meses, todas as edições da Máxima acenderão os holofotes sobre uma nova personalidade masculina, terminando em Outubro com uma exposição destes 100 homens. Finalmente, será lançado um livro em formato de coffee table book que reunirá todas as fotografias do projecto, bem como os depoimentos recolhidos pela jornalista e escritora Isabel Stilwell. Sem esquecer, é claro, o leilão dos sapatos de Luís Onofre, usados pelos convidados. As receitas de todas estas ações reverterão a favor da Laço, uma associação sem fins lucrativos que trabalha na prevenção e apoio às mulheres com cancro da mama e que se associou à Máxima neste Passo Pela Igualdade.

Desvio nas contas atrasa nova estrutura accionista da Controlinveste

Porto Building Jornal de NoticiasFoi encontrado um desvio negativo de cerca de seis milhões de euros nas contas da Controlinveste. O facto está a atrasar a formalização da entrada dos empresários António Mosquito e Luís Montez. De acordo com o jornal Expresso, a situação pode levar ao início de novas negociações relativamente às participações e às posições dos bancos BES e BCP. António Mosquito deveria ficar com 27,5% de participação na Controlinveste, assim como Joaquim Oliveira, e Luís Montez deveria ficar com 15%. Os restantes 30% deveriam ficar com o BES e o BCP.

A Controlinveste é um dos maiores grupos de media em Portugal, com presença em imprensa, rádio, televisão e internet, além de gerir participações em empresas com actividade na área da publicidade, comunicação multimédia, produção de conteúdos e design, telecomunicações, desporto, entre outras.

A Controlinveste tem a sua origem na Olivedesportos, empresa fundada em 1984 por Joaquim Oliveira, ainda hoje um dos mais importantes activos do grupo. Em 1994, a Controlinveste adquire o seu primeiro título de imprensa, o jornal desportivo O Jogo. Em 1998, lança a SportTV, em parceria com a RTP e a PT Multimedia. Em 2001 criou a Sportinveste Multimedia, empresa responsável pela gestão das operações digitais e multimédia dos três principais clubes de futebol em Portugal (Benfica, Porto e Sporting), bem como de outros sites dedicados à distribuição de conteúdos informativos e multimédia na área do desporto. Lançou depois os Sport TV2, Sport TV3 e Sport TV HD. Em 2005 adquiriu a Lusomundo Serviços.
Actualmente tem títulos como o Jornal de Notícias, Diário de Notícias, 24Horas, O Jogo, Global Notícias; jornal Ocasião; o Açoriano Oriental, o Jornal do Fundão, o Diário de Notícias da Madeira; as revistas Evasões, Volta ao Mundo e ainda uma participação accionista na Lusa, agência de notícias.

A Controliveste detém uma forte presença no sector da impressão através de duas empresas gráficas, Funchalense, em Lisboa, NavePrinter, no Porto, bem como no sector distribuição, através de duas empresas de distribuição: a VASP na distribuição em pontos de venda e a Noticias Direct focada na distribuição porta-a-porta de jornais e revistas.

Digisfera realiza imagem gigapixel em Sochi

Digisfera - Jogos Olímpicos de Inverno em SoshiLA empresa portuguesa Digisfera, especializada em imagens panorâmicas em alta definição e desenvolvimento de software para a área da fotografia está envolvida nos Jogos Olímpicos de Inverno em Sochi. O sistema de Panotag, desenvolvido pela Digisfera, foi utilizado na fotografia gigapixel tirada por Henry Stuart durante o jogo de hóquei entre os Estados Unidos e a Rússia. A Digisfera usou a sua aplicação PanoTag que permite aos espectadores identificarem-se na fotografia adicionando “tags” e partilharem essa informação nas redes sociais.

O sistema PanoTag, desenvolvido pela Digisfera para este tipo de projectos, tem vindo a ser utilizado em países tão diversos como a Inglaterra, Holanda, Chile, Costa Rica, Malásia e Estados Unidos da América. O Washington Post chegou mesmo a utilizar esta tecnologia na tomada de posse do Presidente Barack Obama.

Veja a foto em https://sochi-2014.s3-external-3.amazonaws.com/tagging/index.html.

CM e Sábado lançam colecção sobre 25 de Abril

thumb Anos de Abril Página CMO diário Correio da Manhã e a newsmagazine semanal SÁBADO, publicações do grupo Cofina Media, vão reforçar as edições de quinta-feira com o lançamento da colecção “Os Anos de Abril”, uma obra completa com todos os detalhes do antes, durante e depois da revolução.

A colecção “Os Anos de Abril” é composta por oito volumes e reúne textos assinados por académicos e investigadores, assim como o testemunho de militares que protagonizaram os acontecimentos. Trata-se de uma obra com textos e testemunhos de Almada Contreiras, Diniz de Almeida, Fernando Rosas, José Medeiros Ferreira, Maria Inácio Rezola, Otelo Saraiva de Carvalho, Pedro Lauret, Salgueiro Maia, Vasco Lourenço, entre outros.

Nas bancas semanalmente, cada volume terá o valor de 5,95€ com a compra do jornal Correio da Manhã ou da revista SÁBADO. A acção estende-se até ao dia 3 de Abril, com o oitavo e último volume – “Os Dramas da Descolonização”. O lançamento será acompanhado por uma campanha que conta com peças de imprensa, TV (SIC, TVI e CMTV), rádio (Renascença, RFM e Comercial), mupis e digital.