Login

Lucro da Europac aumenta 2%

Ler mais...O Grupo Europac (Papeles y Cartones de Europa, SA) registou um resultado líquido de 4,30 milhões de euros no primeiro trimestre do ano. Os dados representam uma subida de 2% face ao mesmo período do ano passado. As vendas agregadas aumentaram 3% para os 267,06 milhões de euros.

Enrique Isidro, conselheiro delegado do Grupo Europac, explica que “os resultados do Grupo melhoraram ligeiramente face ao mesmo período de 2013 num contexto macroeconómico caraterizado pela debilidade da economia nos principais mercados e por uma reforma energética em Espanha, que teve um impacto de 3,52 milhões de euros no primeiro trimestre do ano”.

Nestas circunstâncias, Enrique Isidro destaca “o aumento das vendas, a melhoria da margem do papel reciclado e uma ligeira recuperação da margem bruta da área de negócio do cartão em todos os países por comparação com o último trimestre de 2013, que compensaram os efeitos da reforma energética face ao primeiro trimestre do ano passado”.

Na Divisão de Papel, o aumento de eficiência na fábrica de papel kraftliner de Viana do Castelo permitiu que o volume de vendas subisse 4,6% para as 91.310 toneladas. A descida dos preços de venda condicionou o comportamento das vendas agregadas e do EBITDA, que retrocederam 3,4% e 4,5% respectivamente. A diferença de preço entre o papel kraftliner e o papel reciclado está abaixo da média histórica, o que permite prever uma correcção neste sentido.

O papel reciclado registou uma evolução positiva da margem em todos os mercados que cresceu de 3% para 14%, o que se traduziu num aumento do EBITDA desta área para 8,43 milhões de euros, uma subida de 380% face ao primeiro trimestre de 2013. Apesar deste aumento, a margem ainda se encontra abaixo da média histórica do produto.

A área de negócio do cartão e embalagem obteve uma ligeira melhoria da margem bruta em todos os mercados face ao último trimestre de 2013, contudo ainda se encontra abaixo dos níveis do primeiro trimestre do mesmo ano. O aumento do volume de produção e das vendas está condicionado pela incorporação da Europac Cartonnerie de Bretagne que ocorreu a 1 de março de 2013. A melhoria da margem bruta e o aumento do volume, juntamente com a manutenção da política de controlo de gastos fixos, levou a um aumento do EBITDA de 6,5%.

A área de negócio da gestão de resíduos registou um aumento do volume de 14,1%, tendo chegado às 79.639 toneladas, o que permitiu duplicar amplamente o EBITDA obtido no primeiro trimestre de 2013 e incrementar o nível de integração entre papel recuperado e papel reciclado para os 38%, face aos 34% conseguidos há um ano.

Na área de produção de energia, atividade vinculada à produção de papel, o impacto da reforma energética aplicada no mercado espanhol implicou perdas de 3,52 milhões de euros no primeiro trimestre do ano. Neste cenário, desde meados de fevereiro, a produção de energia está a ser gerida de forma a minimizar o impacto da reforma.

No mercado português, uma pagarem para manutenção na instalação energética da fábrica de Viana do Castelo levou a uma descida no volume de produção e nas vendas.

Em conjunto estes dois fatores contribuíram para que o EBITDA da área de energia descesse 59% para 3,04 milhões de euros, em relação aos 7,42 milhões de euros obtidos entre janeiro e março de 2013.

Portucel Soporcel investe em Cácia

Ler mais...O grupo Portucel Soporcel quer aumentar, em 30 milhões de euros, as exportações anuais, que atingiram em 2013 o valor de 1.215 milhões de euros.

Para isso, vai aumentar a capacidade produtiva da unidade industrial de Cacia, no distrito de Aveiro, em 20%, fazendo crescer a capacidade de produção de pasta de eucalipto desta unidade fabril para 353 mil toneladas/ano.

Com o projecto de expansão da unidade industrial de Cacia, a capacidade instalada de produção de energia renovável vai aumentar cerca de 9% para 336,7 MW. Recorde-se que, para além de produzir e comercializar pasta branca de eucalipto para mercado e para outras unidades do grupo Portucel Soporcel, a fábrica de Cacia, que emprega 181 colaboradores directos, produz também energia resultante de um processo de cogeração que utiliza como principal combustível a biomassa florestal, obtida a partir de resíduos do processo de produção de pasta.

A Fábrica de Cacia iniciou a sua actividade em 1953, tendo sido pioneira, a nível mundial, na utilização de madeira de eucalipto para a fabricação de pasta de papel pelo processo "kraft", processo esse que acabou por se impor como uma referência, sendo hoje em dia partilhado por todos os produtores mundiais deste tipo de pasta. Na última década, Cacia foi objecto de importantes investimentos, destacando-se, em 2006, o respeitante a uma nova caldeira de recuperação.

Franco Suíço vai ser produzido com DuraSafe

Ler mais...O papel DuraSafe, produzido na fábrica de Landqart da Fortress Paper, foi o escolhido para a produção da nona série do Franco Suíço, a ser emitido pelo Banco Nacional Suíço (SNB).

DuraSafe é um novo substrato para notas com compósito de polímero-papel desenvolvido em cooperação com o Instituto Federal Suíço de Tecnologia (ETH) de Zurique. O DuraSafe é composto por duas camadas externas de papel de algodão com um núcleo de polímero totalmente transparente o que, de acordo com a Fortress Paper, adiciona estabilidade e propriedades de resistência mecânica superiores às notas, assim como atribui características de alta segurança.

Chadwick Wasilenkoff , CEO da Fortress Paper, afirmou: "O Franco Suíço é amplamente reconhecido por ter um dos mais altos padrões de características de segurança do mundo e acreditamos que este contracto de referência nos permitirá gerar mais interesse com bancos estatais em todo o mundo."

As propriedades do substrato permitem a criação de janelas em qualquer lugar da nota e a colocação de uma marca d'água ou de fibras de segurança, bem como o recurso a técnicas mais tradicionais de segurança.

Monção troca papel por alimentos

Ler mais...Até 30 de Abril, cada tonelada de papel usado corresponde a 100 € de alimentos, em Monção. As entregas estão a ser efectuadas no quartel de bombeiros de Monção e visa ajudar a combater o problema da fome ao mesmo tempo que contribui para aumentar a reciclagem.

O Banco Municipal de Livros Escolares, em colaboração com o Banco Alimentar de Luta Contra a Fome e a Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Monção, vão promover a recolha de todo o género de papel (caixas de cartão, revistas, fotocópias, manuais escolares deteriorados, cadernos, folheto) que podem ser depositados nos ecopontos azuis situados no espaço exterior do quartel. Essa ajuda alimentar reverte a favor das pessoas com maiores dificuldades económicas, entre as quais, naturais e residentes no concelho de Monção.

Europac atinge recorde de produção de kraftliner

Ler mais...A fábrica de Viana do Castelo do Grupo Europac (Papeles y Cartones de Europa, S.A.) conseguiu um novo recorde de produção no ano passado, atingindo o valor de 363 947 toneladas. A Europac é o quarto fabricante europeu deste produto, com uma capacidade de produção de 375 000 toneladas anuais.

Este tipo de papel de fibra virgem, fabricado a partir de madeira, caracteriza-se pela alta qualidade e resistência, o que permite dar resposta aos altos padrões de qualidade do mercado europeu. Cerca de 90% da produção da fábrica de Viana destina-se a exportação, o que faz desta unidade um dos principais exportadores de Portugal.

Estes resultados são fruto dos 200 milhões de euros investidos na fábrica de Viana do Castelo desde o ano 2000. Do total investido, 116 milhões de euros destinaram-se a aumentar a capacidade de produção da máquina de papel desta unidade, que gera 318 postos de trabalho directos.

A fábrica de papel de Viana do Castelo foi inaugurada em 1974 e desde então a sua capacidade de produção já foi aumentada em 170%, tendo já produzido mais de oito milhões de toneladas de papel.

Portucel Soporcel dá a mão à floresta

Ler mais...O Grupo Portucel Soporcel vai voltar a celebrar o Dia Mundial da Floresta – que se assinala a 21 de Março – com a iniciativa denominada “Dá a Mão à Floresta”, através da qual distribuirá milhares de plantas provenientes dos viveiros do Grupo pelas populações de diferentes localidades do País.

A concretizar pelo quarto ano consecutivo, esta acção, que se enquadra na política de Responsabilidade Social da empresa, visa sensibilizar as comunidades contactadas, com especial incidência junto das crianças, para a vital necessidade de proteger a floresta e o meio ambiente.

A iniciativa obteve, no ano passado, a distinção de “Melhor Campanha de Responsabilidade Social” no âmbito do Grande Prémio APCE 2013 (Associação Portuguesa de Comunicação de Empresa). Este ano, a iniciativa decorrerá entre 21 e 28 de Março, nos centros urbanos de seis localidades (Aveiro, Aljezur, Castelo de Paiva, Ferreira do Zêzere, Figueira da Foz e Setúbal), onde serão distribuídos, em estreita pareceria com as autarquias locais, vários milhares de plantas características destas regiões, entre as quais eucaliptos, pinheiros mansos, sobreiros, carvalhos, azinheiras, alfazemas, alecrim e medronheiros.

Paralelamente, decorrerão em cada uma das localidades actividades de carácter lúdico e pedagógico destinadas às crianças, especialmente às do 1ºCiclo do Ensino Básico, sempre centradas na temática da protecção da floresta e na preservação dos recursos naturais.

O Grupo Portucel Soporcel tem sob sua responsabilidade a gestão de um património de 120 mil hectares de floresta, tendo sido a primeira entidade em Portugal a obter as licenças de uso das marcas de certificação da gestão florestal concedidas pelos sistemas internacionais FSC® (FSC C010852) e PEFC (PEFC/ 13-23-001). O Grupo é também o maior produtor de plantas certificadas em Portugal, já que os seus Viveiros possuem uma capacidade anual de produção de cerca de 12 milhões de plantas de diversas espécies, que contribuem para a renovação da floresta nacional.

No âmbito da sua política de Responsabilidade Social, o Grupo Portucel Soporcel investe cerca de três milhões de euros anuais na prevenção e apoio ao combate aos incêndios florestais, sendo destacadamente a maior participação privada no contexto nacional de protecção florestal.

Nils Ringborg é o novo CEO da Holmen Paper

Ler mais...A Holmen Paper anunciou que Nils Ringborg foi nomeado CEO da área de negócio da Holmen Paper e também vai fazer parte da gestão do grupo. Nils Ringborg sucede a Henrik Sjölund a partir de 9 de Abril, deixando de executar as actuais funções enquanto director de vendas e de marketing.

"Nils e a sua equipa no departamento de marketing e vendas fizeram um trabalho fantástico durante estes tempos difíceis. A Holmen Paper vai ganhar um líder com uma extensa rede de contactos e com uma boa noção do que é o nosso negócio” referiu Henrik Sjölund.

Ringborg comentou; "Nós temos uma estratégia clara em que o negócio na Suécia vai orientar-se para o papel de especialidade com base em fibra virgem e o negócio de Madrid vai continuar a focar-se no papel para jornal e revista com fibra recuperada como matéria-prima." Começou també o processo de recrutamento de um novo director de vendas e marketing após a nova nomeação.

Portucel Soporcel aumenta preços

Ler mais...O grupo Portucel Soporcel vai aumentar os preços do papel UWF, papel não revestido de pasta química, em todos os mercados europeus, com efeito a partir de Abril. O aumento de preços, que vai variar entre os 3 e os 5%, segue-se a dois que já foram implementados nos Estados Unidos, no Médio Oriente, na Ásia, na África e na América Latina. O grupo português verificou também um aumento na procura no início de 2014, com as ordens de encomenda no nível máximo já registado para esta época do ano.

A pressão de custos na indústria levou ao fecho de várias unidades papeleiras de outros grupos, quer nos Estados Unidos quer na Europa. Tendo em conta as cicunstâncias, o grupo papeleiro revela que este é uma revisão de preço inevitável, após uma siminuição generalizada de 3% durante o ano de 2013, de acordo com os indicadores relevantes para benchmark. É de referir que apenas no Verão de 2010 se verificou um valor mais baixo que o actual, o que só se terá registado seis vezes nas últimas três décadas.

Portucel S.A. com novo administrador em Abril

Ler mais...O Conselho de Administração da Sociedade da Portucel S.A. procedeu à cooptação de Diogo António Rodrigues da Silveira como administrador, com efeitos a partir de 1 de Abril de 2014, assumindo, a partir daí, o cargo de Presidente da Comissão Executiva da Sociedade. Até lá, Luís Alberto Caldeira Deslandes continuará a desempenhar interinamente as funções de Presidente da Comissão Executiva.

Diogo da Silveira fez a formação superior na École Centrale de Lille, França, tendo um MBA do INSEAD. Iniciou a carreira no grupo industrial japonês Shin Etsu Handotai, o maior produtor mundial de materiais para semicondutores. Foi ainda sócio da Mckinsey & Co, Vice-Presidente Executivo da Sonaecom, Administrador da Sonae Indústria, SGPS e Presidente da ONI SGPS em Portugal e Espanha. Até este momento desempenhava o cargo de Presidente da Comissão Executiva da Companhia de Seguros Açoreana.

A Portucel S.A. informou que a medida representa um “novo ciclo na gestão da Sociedade que, prosseguindo a estratégia que tem vindo a ser implementada até esta data em toda as suas vertentes, irá acentuar a sua expansão internacional”.

Portucel Soporcel ruma ao Dubai

Ler mais...O grupo Portucel Soporcel vai participar, entre 4 e 6 de Março, na Paperworld Middle East, no Dubai. O objectivo é aprofundar as relações comerciais que tem vindo a desenvolver na região.

“O reforço da nossa presença em mercados emergentes como o Médio Oriente reveste-se de uma importância estratégica crescente para o Grupo, atendendo à focalização da empresa na comercialização de produtos premium e marcas de fábrica, para os quais a região demonstra grande apetência. O Grupo revelou nos últimos cinco anos uma capacidade de crescimento também nesta importante região nos segmentos de maior valor acrescentado – nomeadamente em cut-size – superior a 15% ao ano, sendo que no segmento cut-size representou em 2013 mais de 50% das exportações europeias para a região.”, explica Hermano Mendonça, Director de marketing do grupo Portucel Soporcel.

Graças a uma presença continuada de duas décadas no Médio Oriente, os produtos e marcas do grupo têm vindo a despertar um interesse cada vez maior por parte dos distribuidores de papel e clientes finais destes mercados. Na edição do ano passado da Paperworld Middle East, a primeira que contou com a participação do grupo Portucel Soporcel, a receptividade concedida às marcas próprias do produtor português foi muito positiva.

“Estamos convictos que a nossa segunda presença nesta feira do Dubai vai permitir reforçar o potencial de crescimento confirmado no ano passado em relação às nossas marcas próprias, as quais representam actualmente mais de 60% das vendas de produtos transformados em folhas, distinguindo-se pelos elevados padrões de qualidade, inovação e sustentabilidade ambiental”, refere Hermano Mendonça, para quem a presença nestes certames obedece a uma estratégia de conquista de novas oportunidades de consolidação de parcerias de negócio a nível internacional, sendo que em 2013, as exportações do Grupo tiveram como destino 118 países em todo o mundo.

Ao longo de três dias, o stand do Grupo terá expostas as suas principais marcas de papel – Navigator, Pioneer, Inacopia, Explorer, Target, Discovery e Multioffice – dando especial destaque à Navigator, líder mundial de vendas no segmento Premium de papéis de escritório.

O grupo irá dar também uma especial atenção aos papéis de 75 g/m2. A redução de peso de 5 g/m2 significa o uso mais eficiente dos recursos, já que o mesmo número de folhas pode ser produzido recorrendo a menos madeira, água e energia, o que constitui um forte argumento ambiental. Toda esta redução é conseguida sem comprometer a qualidade de impressão e velocidade de máquina, sendo os produtos de 75 g/m2 uma alternativa aos papéis de escritório standard europeus de 80 g/m2. Tudo isto é possível com recurso à utilização de fibras de Eucalyptus globulus, o que confere a estes papéis de menor gramagem uma qualidade que garante um desempenho de excelência em equipamento de cópia e impressão de alto volume.