Login

Humanyzer arranca em Lisboa e Aveiro

Ler mais...Chama-se Humanyzer, é uma nova marca de comunicação digital integrada, que surge da união de serviços entre a agência de public affairs ADBDCommunicare e a Pictonio. Vocacionada para a integração com o mundo offline, a Humanyzer resulta da capacidade empreendedora da Pictonio e dos projectos que tem criado, competências características desta empresa-símbolo do campus da Universidade de Aveiro, com a experiência da ADBD Communicare, agência de comunicação institucional e de produto, PR, imagem e assessoria mediática em áreas como a política, empresas, bens de consumo e futebol. 
A aliança entre a Pictonio e a ADBD Communicare foi um passo estratégico dado por duas marcas que decidiram concretizar a complementaridade das respectivas actividades criando, assim, um projecto que permitirá apresentar ao mercado um conjunto mais alargado e integrado de serviços que agregam de forma global as valências das Tecnologias de Informação e da Comunicação.

Workshop “ ColorAdd- Símbolos que Incluem Cores” em Coimbra

Ler mais...Numa altura em que tanto se fala em "design inclusivo", o workshop “ Color Add- Símbolos que Incluem Cores” visa apresentar a todos os participantes um projecto que representa uma solução que permite aos daltónicos identificar as cores. O Workshop vai ter lugar dia 25 de Fevereiro, na FLAG Coimbra, entre as 10h e as 17h00.
O projecto ColorAdd, desenvolvido por Miguel Neiva, foi criado para ajudar a minorar o problema de um universo significativo da população mundial numa área em que todas as sociedades são e estão cada vez mais envolvidas e preocupadas – a inclusão.
O projecto ColorAdd apresenta uma solução sustentada, de implementar um código universal, que se julga ser de um contributo inquestionável para a inclusão, reforçando e valorizando o “design for all”.
Segundo, Gabriel Augusto, Responsável de Marketing da Flag, “A FLAG ao associar-se a uma iniciativa deste género pretende contribuir para o reforço da mensagem de inclusão social, fazendo com que todos que trabalhem em design possam integrar este critério no seu processo criativo, contribuindo desta forma para a optimização da qualidade de vida do individuo”.

Sonae recebe prémio internacional de design

Ler mais...O Graphis, publicação internacional de comunicação visual, distinguiu a Sonae com um “Gold Award” pelo design da sua imagem corporativa. A adaptabilidade e mutabilidade do logótipo da Sonae captaram a atenção do júri, que premiou a Sonae entre os milhares de candidaturas a concurso. 
Catarina Oliveira Fernandes, diretora de Comunicação, Marca e Responsabilidade Corporativa da Sonae, afirma: “Este prémio é mais um reconhecimento público da criatividade e capacidade de inovação da Sonae. Em colaboração com a nossa agência criámos uma marca inovadora, dinâmica, criativa e mutável que retrata os nossos valores e a nossa ambição de fazer sempre mais e ainda melhor”.


E relembra: “A evolução da marca Sonae permitiu-nos reforçar os nossos valores, como são o caso da inovação e criatividade, e transmitir uma organização flexível e dinâmica. A Sonae é hoje uma empresa ainda mais aberta à comunidade e que reforçou a geração de valor para todos os seus stakeholders de forma sustentada.”


O Graphis Gold Award vem enriquecer a lista de troféus da Sonae recebidos pela renovação da identidade corporativa. No último ano, a Sonae trouxe para Portugal o “Leão de Ouro” no Festival Internacional de Criatividade de Cannes e conquistou o “Bronze” no Eurobest, o maior festival de publicidade da Europa, tendo também sido distinguida na Alemanha com o “Red Dot Award”, naquele que é um dos mais prestigiados festivais internacionais de design, reconhecimentos que traduzem a criatividade e inovação da empresa e da marca.
A nova imagem da Sonae, desenvolvida em parceria com a Ivity e que foi apresentada em Fevereiro de 2010, integra a lista final de vencedores do Graphis, que estará disponível numa edição especial dedicada ao prémio.

Ricoh com gama de compactos A4

Ler mais...A Ricoh Portugal lançou a sua primeira série de impressoras multifunções A4 a preto e branco de alta velocidade – as novas Ricoh Aficio SP 5200S / SP 5210SF / SP 5210SR. Os equipamentos 4 em 1 executam as funções de cópia, impressão, digitalização e fax.
 

“Com os novos multifunções Aficio SP 5200S / SP 5210SF / SP 5210SR, a Ricoh reforça a sua já alargada gama de equipamentos, capazes de produzir documentos em formatos A3 e A4, para ir ao encontro das necessidades dos clientes. A Ricoh é o líder de mercado Europeu no segmento A3 e com o lançamento destes novos multifunções de formato A4, pretendemos reforçar a nossa posição de liderança num mercado global. Além do mais, estes novos multifunções proporcionam uma usabilidade inovadora com o seu painel táctil a cores de grandes dimensões, segurança melhorada e soluções de software avançadas, com um custo de utilização muito competitivo,” afirmou Jorge Silva, Director de Marketing da Ricoh Portugal.
 

Estes novos multifunções da Ricoh, disponibilizam velocidades de impressão de 45 e 50 páginas por minuto, suportam papéis com uma gramagem entre 52 e 220 g/m², digitalização a cores, impressão em duplex para poupar papel e dinheiro. A ligação USB standard torna o processo de impressão rápido e simples mesmo para documentos impressos directamente de uma PEN USB.
 

As ferramentas de segurança opcionais garantem a confidencialidade dos dados e impedem impressões não autorizadas. Outra das características úteis é o suporte de todas as funcionalidades do sistema de gestão remota Ricoh @Remote, que permite efectuar assistência remota em tempo real, a monitorização do desempenho, pedidos de assistência e consumíveis de forma automatizada.
 

Os novos multifunções Ricoh Aficio SP 5200S / SP 5210SF / SP 5210SR possuem funcionalidades amigas do ambiente e económicas, como impressão rápida, cópia em duplex e consumíveis de alta duração. O seu modo avançado de poupança de energia contribui para um reduzido TEC (Typical Electricity Consumption). Além disso, todos os equipamentos da Ricoh cumprem os requisitos Energy Star.

Portucel Soporcel cresce 7,4% em 2011

Ler mais...A Portucel Soporcel atingiu um volume de negócios de cerca de € 1,5 mil milhões, crescendo 7,4% face ao ano anterior. Este aumento resulta do crescimento das vendas de papel fino de impressão e escrita não revestido (papel UWF), possibilitado pelo aumento de produção proveniente da nova fábrica de papel, e pelo crescimento da produção de energia.
A nova fábrica de UWF de Setúbal atingiu, no final de 2011, 97% da sua capacidade nominal, produzindo cerca de 485 mil toneladas de papel. Este acréscimo de produção permitiu ao Grupo registar um aumento de 7% na quantidade de papel colocada no mercado, o que, conjugado com a subida do preço de papel verificada durante o ano, se traduziu num incremento global das vendas de papel de mais de 9%.
Não obstante se ter verificado um aumento no volume produzido de pasta BEKP, o Grupo registou um decréscimo nas vendas em relação ao ano anterior, devido à maior integração de pasta BEKP na nova fábrica de papel UWF de Setúbal. Isso, aliado à forte descida do preço que se fez sentir no período em análise, traduziu-se numa diminuição de cerca de 16% no valor das vendas de pasta de BEKP para mercado. Na área da energia, o Grupo atingiu uma produção global de cerca de 1,9 TWh em 2011. Este segmento registou um crescimento de mais de 20% face ao ano anterior.
Os custos tiveram uma evolução desfavorável em relação ao ano de 2010, devido ao aumento verificado no preço médio do mix de madeira e nos produtos químicos, especialmente ao longo do primeiro semestre. Verificou-se também um aumento em alguns custos fixos de produção, designadamente nas despesas de manutenção e nas despesas com pessoal. A evolução dos custos com manutenção foi condicionada pelas especializações de paragens feitas em 2011 e 2010. O aumento verificado nas despesas com pessoal deveu-se essencialmente ao agravamento do custo com o fundo de pensões e a custos associados ao redimensionamento do quadro com pessoal.
Neste cenário, o EBITDA consolidado foi de € 385,1 milhões, o que representa uma redução de 3,8% face a 2010, e se traduz numa margem EBITDA / Vendas de 25,9%, inferior em 3,0 pontos percentuais à registada no ano anterior, reflectindo os agravamentos de custos mencionados.
Os resultados operacionais tiveram um decréscimo de 4,2%, parcialmente devido ao facto de os resultados de 2010 terem sido positivamente afectados pela reversão de provisões ocorridas nesse ano.
Os resultados financeiros foram negativos em € 16,3 milhões, comparando favoravelmente com um valor também negativo de € 20,1 milhões em 2010. Esta evolução é essencialmente explicada pela redução da dívida líquida remunerada face ao período homólogo e pela melhoria das condições de
remuneração das aplicações dos excedentes de tesouraria. Assim, o resultado líquido consolidado do período foi de € 196,3 milhões, o que representa um decréscimo da de 6,8% em relação ao ano anterior.

Workshops para reestruturar empresas gráficas

Ler mais...Empresários gráficos, sindicatos e funcionários vão participar em workshops nacionais como parte de um novo projecto da União Europeia para a reestruturação socialmente responsável e reorientação de empresas, liderado pela Intergraf. 
Em 2010 Intergraf, juntamente com a UNI Europa Graphical, realizou um projecto sobre a reestruturação socialmente responsável nas empresas de impressão.

O novo projeto vai trazer as ferramentas e demonstrar como aplicar as recomendações no mundo real através de workshops nacionais. Os workshops terão lugar em sete diferentes países, para ajudar os participantes a identificar problemas e oportunidades e dar-lhes conselhos práticos sobre como mudar para o futuro.

John Kirkham, da Facta Consult, vai conduzir as formações dos coordenadores do seminário nacional. Isso irá garantir que os workshops, documentos e informações são consistentes em toda a Europa. No entanto, cada workshop será adaptado a um contexto nacional para o máximo benefício dos participantes.

Os parceiros do projeto são:
• a partir do lado dos empregadores: Intergraf, Apigraf (Portugal), UNIC (França), BVDM (Alemanha), KVGO (Holanda), BPIF (UK), FEDPRINT (Hungria) e o MPIA (Malta).

• a partir do lado dos sindicatos: UNI Europa gráfica, Filpac CGT (França), FNV / KIEM (Holanda), UNITE (UK), the General Workers’ Union (Malta) e Hungarian Graphical Workers’ Union.

SPV cumpre metas de reciclagem

Ler mais...Em 2011, ano em que celebrou 15 anos de existência, a Sociedade Ponto Verde cumpriu e ultrapassou a meta global de reciclagem fixada na sua licença em 55%, tendo atingido uma taxa de reciclagem de 64%. A Sociedade Ponto Verde (SPV) encaminhou para reciclagem, em 2011, mais de 711 mil toneladas de resíduos de embalagens. 
«Os resultados obtidos são a prova de que continuamos a contar com o compromisso de cada um dos portugueses, das autarquias e dos SMAUT para, em conjunto, darmos um destino adequado aos resíduos de embalagens que são gerados, apesar do ano difícil que o país atravessou em 2011», sublinha Luís Veiga Martins, Diretor-geral da Sociedade Ponto Verde. 
«Estamos perante um processo sem retorno. É cada vez maior o número de portugueses que separa os resíduos de embalagem em suas casas. Acreditamos que nos próximos anos a taxa de reciclagem irá continuar a aumentar», acrescenta Luís Veiga Martins. 
Os materiais – Papel/Cartão, Madeira e Plástico/Metal – ficaram acima das suas metas específicas estabelecidas na Licença da SPV. Em termos absolutos, o papel/cartão foi o material mais reciclado pelos portugueses (321.040 toneladas), seguido do vidro (217.159 toneladas).

Bombeiros recolhem 1800 toneladas de resíduos

Ler mais...A Corporação de Bombeiros Voluntários de Mangualde é a grande vencedora do Quartel Electrão, promovida pela Amb3E - Associação Portuguesa de Gestão de Resíduos, tendo sido premiada com uma ambulância para transporte de doentes. Graças a este projecto, os bombeiros de todo o país recolheram, em apenas três meses, 1800 toneladas de Resíduos de Equipamentos Eléctricos e Electrónicos (REEE) e de Pilhas e Acumuladores Portáteis e Incorporáveis em EEE (P&A), que agora serão correctamente encaminhados.

O segundo prémio consistiu numa lavandaria profissional para bombeiros (máquina de lavar roupa, secador de roupa, sapatas fechadas, calanda industrial, sistema de doseamento automático e vaporeta Veit). As dez corporações galardoadas com os prémios per capita receberam também cartões pré-pagos de combustível da Repsol no valor de €1.500, cada um.

A acção teve como objectivo principal incentivar as corporações aderentes e as comunidades locais a reunir a maior quantidade possível de REEE e P&A de modo a, por um lado, minorar os seus impactos ambientais e, por outro, sensibilizar a população para a importância da reciclagem. A corporação vencedora conseguiu recolher 111 toneladas, num esforço que envolveu toda a população de Mangualde.

Kodak não faliu

Ler mais...Apesar das informações veiculadas a nível internacional, a Auto-Gráfica, representante da Kodak em Portugal, esclareceu que a fabricante não entrou em falência. «A Kodak e as suas subsidiárias nos Estados Unidos solicitaram voluntariamente a “protecção” do Capitulo 11 para reestruturação do negócio, mantendo o seu normal funcionamento, bem como, o integral cumprimento das suas obrigações para com clientes, empregados, fornecedores e parceiros» comunica a Auto-Gráfica. A empresa portuguesa esclarece ainda que tal não se aplica às subsidiárias fora dos Estados Unidos.
A reorganização de negócios pode permitir um reforço da liquidez nos EUA e no exterior, rentabilizar propriedade intelectual e resolver passivos herdados.
O Capítulo 11 é um mecanismo legal que se concentra na preservação e reorganização das empresas que operam em curso. O processo permitirá Kodak para continuar as operações normais de negócios enquanto realiza os objetivos de emergir como uma empresa rentável e sustentável.

Captar Sintra no Inverno

Ler mais...O Inverno traz novas cores aos Parques de Sintra. Inspirados pelas novas tonalidades da serra, fotógrafos amadores e profissionais poderão candidatar os seus trabalhos ao concurso de fotografia “Captar Sintra – A biodiversidade das estações”.

Este é o segundo de oito concursos fotográficos, a lançar pela Parques de Sintra até 2013, em cada estação do ano, no âmbito do projeto Bio+Sintra, que promove os principais valores naturais da Serra e procura dar a conhecer as relações causais diretas entre as atividades diárias e as emissões de carbono.

O concurso está aberto à participação de todos os visitantes dos parques geridos pela
Parques de Sintra, quer sejam fotógrafos profissionais ou amadores, com fotografias captadas nos Parques da Pena, Monserrate, Convento dos Capuchos, Castelo dos Mouros, Jardim da Condessa D’Edla ou em qualquer das Tapadas anexas. As candidaturas deverão ser entregues até dia 2 de Março de 2012.

Cada participante poderá candidatar até três fotografias originais da sua autoria, que serão avaliadas de acordo com a originalidade, impacto da imagem e qualidade fotográfica.

Os três melhores trabalhos serão premiados com a estadia de uma noite, para duas pessoas, com pequeno-almoço, num dos hotéis mais emblemáticos e românticos de Sintra (1º Prémio), cheques oferta FNAC e cartões anuais de visitante da Parques de Sintra.

O conjunto dos melhores trabalhos apresentados a concurso será exposto em local e data a indicar, bem como no website do projecto Bio + Sintra, no final de cada estação do ano.

Informações, regulamento completo e inscrições na secção “Concursos de fotografia” em: http://www.parquesdesintra.pt/bio+sintra

 

Conhecidos vencedores do 1º concurso

A primeira edição dos concursos fotográficos decorreu entre 19 de Novembro e 21 de Dezembro e teve como vencedores: Cristina Menezes, com a fotografia “Cascata de Beckford; João Vasco Santos, com a fotografia “Cores de Outono”; e Francisco Lourenço, com a fotografia “Espelho de vida”.

Das 55 fotografias apresentadas a concurso e que procuraram captar a biodiversidade de Sintra, os trabalhos dos três candidatos destacaram-se pela sua criatividade e por contribuírem para a adopção de comportamentos mais sustentáveis. Os trabalhos foram avaliados por um júri constituído por Nanã Sousa Dias, fotógrafo profissional, Carlos Albuquerque, representante da Câmara Municipal de Sintra, João Vieira, representante da associação cultural 3Pontos, e Maria Inês Moreira, coordenadora do projecto BIO+Sintra.

As melhores fotografias e mais representativas da biodiversidade na Serra de Sintra estarão expostas no Palácio de Monserrate, entre os meses de Fevereiro e Março de 2012.