fbpx
Login

RMG Direct integra Ocyan

Ler mais...A RMG Direct integrou a marca Ocyan, conforme a segunda divulgou em comunicado. «Esta uniao visa potencializar urn serviço cada vez mais integrado e de chave na mão, capaz de dar respostas aos mais diversos desafios, na medida em que ao portefólio dos serviços já oferecidos pelo grupo Ocyan, agora se juntam: finishing de Marketing Direto; handling; logística promocional; gestão de concursos e promoções» divulgam ambas as empresas.

SureColor SC-F: nova série de sublimação

Ler mais...A Epson marca a entrada no mercado de impressão de sublimação de tinta com o anúncio do lançamento de duas impressoras de sublimação com alimentação por rolo: a SureColor SC-F6000 de 44 polegadas e a SureColor SC-F7000 de 64 polegadas.
Com resultados de qualidade de até 720 x 1440 ppp em todos os principais papéis de transferência, as novas impressoras representam não só os primeiros modelos de sublimação da Epson, mas também os primeiros deste sector em que todos os componentes (desde o tinteiro e a cabeça de impressão até à estrutura da impressora e aos acessórios opcionais) foram concebidos e fabricados por uma única empresa.
As impressoras SureColor SC-F7000 de volume médio-alto de 64 polegadas e SureColor SC-F6000 de volume baixo-médio de 44 polegadas foram desenvolvidas com vista a uma produção de impressões de materiais flexíveis, roupa desportiva, vestuário, acessórios, artigos promocionais personalizados e aplicações decorativas de qualidade. Graças ao carregamento de suportes efectuado por um só operador e às funcionalidades de configuração, tais como a regulação automática da tensão dos suportes e um painel de controlo LCD intuitivo, a configuração e utilização de ambas as impressoras é fácil e rápida.
Ambos os modelos apresentam velocidades de impressão de 16 a 57 m2/hora, consoante a aplicação, e um sistema de tinteiros incorporado, fácil de recarregar e de capacidade elevada (1,5 litros). Além disso, o rolo de recolha automática de papel (funcionalidade de origem para o modelo SC-F7000 e opcional para o SureColor SC-F6000) permite ciclos de produção máxima sem interrupções, com um tempo de inactividade mínimo para manutenção.
Guy Martin, gestor de produto da Epson Europe, afirma: "A digitalização da impressão têxtil ainda representa menos de 2% do mercado, mas esta aplicação está a ter um rápido crescimento. A nossa estratégia passa por aumentar essa percentagem, ao fornecer sectores de impressão profissional com as soluções de produção mais fiáveis e rentáveis para a crescente produção a curto prazo, totalmente concebidas pela Epson para proporcionar resultados de qualidade consistente."
Guy acrescenta: "Os novos modelos SureColor SC-F6000 e SC-F7000 fornecem ao mercado de sublimação uma selecção de impressoras adequadas a diversas aplicações criativas, com o suporte e a competência da Epson. Isto é apenas o início, sendo que lançaremos mais produtos no futuro."

Novos modelos Arizona

Ler mais...A Océ lançou quatro novos modelos pertencentes à gama de impressoras Océ Arizona 400: Océ Arizona 460 GT, Océ Arizona 460 XT, Océ Arizona 440 GT e Océ Arizona 440 XT. Estes modelos completam a série de impressoras planas de nova geração Océ Arizona 400.
A gama Océ Arizona 400 inclui seis impressoras planas UV diferentes, com quatro, seis ou oito canais de tinta independentes, em dois tamanhos de mesa distintos, que permitem realizar uma grande variedade de aplicações e dispõem de capacidades de produção ajustadas a cada cliente
A tecnologia de imagem Océ VariaDot é a chave para obter o contraste de qualidade de imagem de todas as impressoras da gama Océ Arizona. Esta tecnologia produz trabalhos com uma resolução equivalente a 1440 ppp ou superior. Os textos de menor tamanho, como os de corpo 2, são legíveis, inclusive quando se trata da impressão em negativo (tinta branca sobre um fundo preto). A compensação activa de pixels garante a nitidez da imagem em toda a área de trabalho, a densidade e a uniformidade. Com a opção de bobina, tanto se imprime em suportes rígidos como em flexíveis. Menor intervenção manual, maior produtividade.
O novo sistema de zonas de vácuo variáveis inclui seis zonas nos modelos GT da série Océ Arizona 400 – sete nos modelos XT da série Océ Arizona 400. Pode combinar o uso de qualquer formato de material standard para reduzir ou eliminar a intervenção manual, incrementando assim a produtividade. Para além disto, o modo de trabalho por lotes suporta os trabalhos mais complexos como aqueles que requerem múltiplas passagens para aplicações especiais.

Xerox lança Phaser 7800

Ler mais...A impressora A3 Laser a cores Phaser 7800 da Xerox foi concebida para suportar trabalhos de impressão de forma optimizada e rápida, provas finais para anúncios, materiais de ponto de venda, protótipos de embalagens, entre outros suportes e aplicações. A Phaser 7800 tem ainda opções de acabamento como: empilhamento, agrafamento, perfuração de 2/4 furos, produção de booklets com agrafos no vinco e dobragem em V. A Phaser 7800 dispõe do sistema Phaser Match 5.0 e PhaserMeter Colour Measurement Device da X-Rite, que permitem controlar a precisão das cores no momento de impressão, reduzindo tempo e custos. Adicionalmente foi lançado e disponibilizado ao mercado uma nova parceria com a EFI Fiery, a Phaser 7800 dispõe agora de um RIP da Fiery, denominado de  Xpress 4.5 (versão desktop), tornando assim possível este equipamento ser ainda mais profissional com “Color Management”.

A Phaser 7800 foi ainda licenciada pela PANTONE garantindo a correcta sincronia de cores com o PANTONE MATCHING SYSTEM. A Phaser 7800 garante uma impressão de 45 páginas por minuto e assegura a utilização de suportes com diferentes gramagens – de 75 a 350 g/m2. O equipamento permite a impressão frente-e-verso automática em suportes até 256 g/m2, uma característica standard que não reduz as velocidades de impressão. A Phaser 7800 dispõe ainda de Extra Heavy Duty Media Kit que permite uma impressão frente-e-verso automática em suportes tradicionais com gramagem acima dos 256 e até às 300 g/m2.

Ricoh lança a mais pequena laser A4

Ler mais...A Ricoh Portugal lançou os Aficio™SP 100e / SP 100Sue / SP 100SFe, três novos equipamentos a laser a preto e branco.

A impressora laser A4 a preto Aficio SP 100e é a mais pequena do mercado, comunica a marca. A velocidade é de 13 páginas por minuto e a primeira impressão está pronta em apenas 13 segundos. Os modelos SP 100SUe e o SP 100SFe são equipamentos multifuncionais laser a preto, que asseguram as funções de impressão, cópia e digitalização. São ambos ultra compactos, com alturas de 16 e 20cm respectivamente.

“Estes novos equipamentos ultra compactos da Ricoh, são as novas adições ao nosso portefólio para ambientes de pequenos escritórios e uso doméstico, um sector muito importante onde a Ricoh procura reforçar futuras oportunidades de expansão de negócio e quota de mercado. São os equipamentos de impressão e multifunções mais acessíveis da gama actual da Ricoh”, afirma Jorge Silva, Director de Marketing da Ricoh Portugal, “A utilização é simples graças ao atractivo painel de operação e ao seu tamanho ultra compacto. O baixo preço, aliado à qualidade Ricoh, é também um forte atractivo ao sucesso destes novos equipamentos”.

 A função de scanner dos multifunções SP 100Ue e SP 100SFe, inclui digitalização em cor integral a alta velocidade (7,9 segundos/folha) em resoluções até 600 x 600 dpi. A função standard de cópia de cartão identificação permite que ambos os lados de um cartão de identificação. O modelo SP 100SFe assegura também a função de fax rápido graças à norma SuperG3, que tem uma velocidade de modem de 33,6 kbps, além de 100 memórias codificadas.

Os Aficio™SP 100e / SP 100Sue / SP 100SFe dispõem de funções ambientalmente responsáveis, como poupança de toner e duplex (manual), que permitem uma redução de custos. Além disso, estes equipamentos estão em conformidade com as normas Energy Star, o que significa que é produzido menos CO2 no fornecimento da energia necessária para fazê-los funcionar. Em modo de espera, o consumo é de 5W.

Snapfish encerra em Portugal

Ler mais...O serviço de impressão fotográfica da HP, o Snapfish, vai deixar de estar disponível a partir do dia 8 de Janeiro de 2013.

«A Snapfish irá continuar a alinhar-se com uma visão da marca mais ampla e a alavancar as inovações da empresa que possibilitem aumentar a sua competitividade no mercado. Isto inclui os postais e cartões, álbuns de fotografias e uma maior capacidade de impressão em casa para permitir aos utilizadores imprimirem conteúdos mais significativos quando e virtualmente desde onde quiserem» refere a marca em comunicado aos clientes. Os clientes em Portugal directamente afectados serão notificados por correio electrónico e informados das ferramentas disponíveis para transferirem as suas fotografias para um serviço alternativo de compartilhamento de fotos, quando disponível.

 Os clientes não irão perder nenhuma das fotografias transferidas para o site da Snapfish. Os clientes podem descarregar as suas fotografias do site. Em Portugal, os clientes podem fazer as suas encomendas usando os seus créditos de produtos gratuitos o mais tardar até 8 de Janeiro de 2013. Todos os créditos promocionais expiram no final do dia 8 de Janeiro de 2013.

Os clientes podem usar as suas fotos pré-pagas e os vales de oferta nas suas encomendas até a data limite de 8 de Janeiro de 2013. Qualquer saldo de conta ainda remanescente após esta data, será reembolsado aos clientes. Mais detalhes serão enviados para o endereço de correio electrónico da sua conta Snapfish antes de 8 de Fevereiro de 2013.

Renova lança gama para o Natal

Ler mais...Para este Natal, a Renova preparou uma coleção exclusiva de produtos para tornar a data num momento inesquecível.
Para apoiar as suas refeições, para os encontros em família ou entre amigos, a nova coleção de guardanapos Renova não deixa ninguém indiferente. São oito motivos exclusivos, trabalhados com as cores fortes da época e padrões para ajudar a dar cor às delícias típicas da quadra. Vermelho vivo e verde intenso, padrões vintage ou a invocar a época Victoriana, bonecos de neve ou renas encantadoras são as propostas.
A edição especial Natal do papel higiénico Renova Design completa a oferta da marca. São rolos todos diferentes dentro da mesma embalagem, decorados com ilustrações que permitem surpreender os convidados.

Omdesign assina exposição da Metro do Porto

Ler mais...A Omdesign foi a agência escolhida pela Metro do Porto para a criação e produção da exposição de fotografia “O Metro e a Cidade. 10 Anos de Vida em Movimento”, no âmbito da comemoração do 10.º aniversário da empresa de transportes.

Patente nas dez principais estações subterrâneas da rede metro, a exposição foi ontem inaugurada e compila em 20 imagens o trabalho de 10 fotógrafos, ligados à Cidade Invicta, que retratam o Porto, antes e depois da chegada do metro. A exposição pode ser visitada até Março de 2013.

De referir ainda que para além da decoração das estações, a Omdesign foi também responsável pela campanha de comunicação realizada pela Metro do Porto, a propósito do seu aniversário.

Portugal Print em preparação

Ler mais...Já está em andamento a preparação do Portugal Print 2013 que terá lugar no Porto, na Exponor, de 14 a 16 de Março de 2013. A campanha de venda de espaços para o evento arrancou em Setembro e mais de 50% do pavilhão 6 da Exponor já se encontra vendido. A maioria das empresas que tomaram parte no evento de 2012 já asseguraram a sua presença no próximo ano. Verificam-se também muitas de reservas de novas empresas participantes, quer portuguesas, quer estrangeiras, o que deixa a organização do Portugal Print 2013 muito satisfeita com os resultados, até agora, obtidos.

«Apesar do contexto de crise em que vivemos, nota-se uma vontade das empresas portuguesas de fazerem algo pela sobrevivência dos sectores envolvidos, não baixando os braços e mostrando ao mercado que continuam de pé e dispostas a tudo fazerem para satisfazer a sua carteira de clientes participando na única feira existente em Portugal, do seu sector de actividade» afirma a organização .

A primeira edição do Portugal Print 2012 teve lugar de 12 a 14 de Abril, no Pavilhão 6 da Exponor. Contou com cerca de 65 empresas expositoras, dos mais diversos sectores de actividade, no âmbito das artes gráficas e do têxtil profissional, de origem nacional, na sua grande maioria, mas também oriundas de vários países europeus, tais como Reino Unido, Suiça, Alemanha, França, Itália e Espanha, sobretudo da região da Galiza, fruto da campanha de marketing desenvolvida nesta região; e de países como os Estados Unidos e Angola. Estiveram presentes as principais empresas dos sectores representados que após o final do certame mostraram a sua satisfação com os resultados obtidos nesta primeira edição que contou com 5211 visitantes profissionais, já que o controle de acesso ao evento foi rigoroso, não facilitando a entrada a quem não fosse profissional dos sectores representados. Mais uma vez, foram convidados empresários provenientes dos PALOP que aproveitaram esta oportunidade para ficarem a par de todas as novidades apresentadas, bem como de efectuarem e planearem negócios com expositores presentes.

Reciclagem evita 116 mil toneladas de CO2

Ler mais...A gestão dos resíduos de embalagens no âmbito do Sistema Integrado de Gestão de Resíduos de Embalagens (SIGRE) enquadra-se por excelência no conceito de Economia Verde, já que potencia um efeito multiplicador na economia, cria mais de 2400 postos de trabalho e evitou a emissão de dióxido de carbono (CO2) equivalente às emissões geradas pelo consumo anual de electricidade de 124 mil agregados familiares em Portugal.

Estas são algumas das conclusões do projecto de investigação “Contributos do SIGRE para o Desenvolvimento Socioeconómico e Ambiental de Portugal”, desenvolvido pela consultora ambiental 3Drivers, com o objectivo principal de avaliar os impactes directos e indirectos da gestão de resíduos de embalagens efectuada no âmbito do SIGRE, também conhecido como Sistema Ponto Verde, aos níveis ambiental, económico e social em Portugal.

O estudo conclui que a gestão de resíduos de embalagens no âmbito deste sistema potencia uma gestão mais eficiente dos recursos naturais, contribuindo para a redução dos impactes ambientais da extracção de novos recursos e para a disponibilidade de recursos essenciais às nossas economias, criando ao mesmo tempo oportunidades de negócio, valor acrescentado e emprego.

O SIGRE é gerido pela Sociedade Ponto Verde e existe para garantir a organização e gestão de um circuito que assegura a retoma, valorização e reciclagem dos resíduos de embalagens não-reutilizáveis, assim como a diminuição do volume de resíduos depositados em aterro. O sucesso deste sistema assenta na articulação de responsabilidades entre os vários parceiros, no sentido de completar um ciclo com um potencial de sustentabilidade praticamente infinito: sistemas municipais e autarquias, embaladores/importadores, distribuidores, fabricantes de embalagens e de materiais de embalagens, recicladores e consumidores.

O estudo sobre os “Contributos do SIGRE para o Desenvolvimento Socioeconómico e Ambiental de Portugal” foi realizado pela consultora ambiental 3Drivers ao longo de 2012. A coordenação científica do estudo esteve a cargo do Prof. Paulo Ferrão.

O impacto do SIGRE na Economia

As actividades de gestão de resíduos de embalagens no âmbito do SIGRE apresentam um impacte económico significativo, de acordo com o estudo. Por exemplo, a nível do valor acrescentado, o Sistema Ponto Verde encontra-se entre os ramos de actividade com maior efeito multiplicador a nível nacional, sendo que, por cada euro de valor acrescentado no SIGRE são gerados 1,25 euros de valor acrescentado no resto da economia.

Por outro lado, por cada euro de salários são adicionalmente pagos 1,30 euros de salários no resto da economia e, por cada euro de volume de negócios, circulam adicionalmente na economia 1,04 euros de volume de negócios.

A alavancagem total do SIGRE, entendida como o valor monetário dos efeitos indirectos dos vários ramos de actividade que integram o Sistema nos restantes sectores da economia, é de 147 milhões de euros de Valor Acrescentado Bruto, 80 milhões de euros de salários e 391 milhões de euros de volume de negócios.

Tendo em conta o actual panorama relacionado com a gestão de resíduos de embalagens no SIGRE, procurou-se também avaliar as consequências económicas de um cenário alternativo em que não ocorreria separação e reciclagem de resíduos de embalagens e que estes seriam geridos indiferenciadamente. Concluiu-se que tal cenário alternativo implicaria uma redução de PIB de 71 milhões de euros.

Em relação ao enquadramento económico dos embaladores aderentes ao sistema gerido pela SPV, verifica-se que a maior parte dos embaladores se enquadra em sectores ligados às indústrias transformadoras (46%), seguidos das empresas ligadas ao comércio por grosso e a retalho, reparação de veículos automóveis e motociclos (36%) e agricultura, produção animal, caça, floresta e pesca (9%). No total, as cerca de 12 mil empresas aderentes representam apenas 0,9% do número de empresas existentes em Portugal, mas geram, no mínimo, 31,4% do volume de vendas das empresas não financeiras no nosso país.

O impacto do SIGRE no Ambiente

Da avaliação realizada, constatou-se que o SIGRE apresenta globalmente um balanço ambiental positivo, ou seja, os impactes gerados pelas diversas actividades de recolha, triagem, transporte, tratamento e valorização de resíduos são suplantados pelos impactes evitados devido à recuperação de materiais e energia obtidos pelos processos de valorização dos resíduos, com especial enfoque na sua reciclagem.

Estima-se que, em 2011, a gestão dos resíduos de embalagens no âmbito do Sistema Ponto Verde permitiu evitar a emissão de 116 mil toneladas de CO2 equivalente. Este valor é correspondente às emissões geradas pelo consumo de electricidade de mais 124 mil agregados familiares em Portugal num ano ou a 15 750 voltas ao mundo de avião. Por outro lado, permitiu uma redução no consumo de água equivalente a 275 piscinas olímpicas.

Comparando-se o desempenho do SIGRE com o desempenho potencial de dois cenários alternativos - nomeadamente a incineração e o aterro -, verifica-se que a configuração actual do Sistema Ponto Verde é a única que apresenta um resultado ambiental positivo em todas as categorias consideradas. Por exemplo, a nível da emissão de gases com efeito de estufa, e face a um modelo onde os resíduos de embalagens teriam sido recolhidos indiferenciadamente com os outros resíduos e encaminhados para incineração, o actual modelo de gestão de resíduos de embalagens permitiria evitar, com base nos dados de 2011, a emissão de 396.240 toneladas de CO2 equivalente, ou seja, o correspondente ao sequestro de carbono de 678 km2 de pinheiros.

O impacto do SIGRE na Comunidade

O estudo concluiu que os empregos directos associados à gestão de resíduos de embalagens ascendem a mais de 2.400 trabalhadores. Destes, 83% dizem respeito à gestão dos resíduos urbanos de embalagens, sobretudo ligados às actividades de recolha selectiva e triagem, 15% à gestão de resíduos não urbanos de embalagens e 2% encontram-se ligados à Sociedade Ponto Verde.

O estudo permitiu também concluir que as empresas que colaboram com a Sociedade Ponto Verde no âmbito do SIGRE tinham em média, em 2009, 67 trabalhadores, representando no total 7.095 empregos. O trabalhador típico dessas empresas, de acordo com os resultados obtidos, é homem, de nacionalidade portuguesa, com 40 anos de idade e com 8,5 anos de escolaridade.

No âmbito do mesmo estudo, foram analisados os resultados de diversos projectos de responsabilidade social promovidos pela entidade gestora do SIGRE, a Sociedade Ponto Verde, com o intuito de contribuir para uma sociedade mais justa e sustentável e que extravasam o seu âmbito obrigatório de actuação.

Foram apoiadas, nos últimos anos, duas grandes causas – a prevenção do cancro de mama e a ajuda a crianças de famílias carenciadas. Assim, em conjunto com a Associação Laço foram angariados 409 mil euros, que foram utilizados para comprar duas unidades de rastreio de cancro de mama. Por outro lado, em conjunto com a Associação Entrajuda foram angariados, no global, cerca de 450 mil euros que serviram, até agora, para construir 55 salas de aula e apoiar 4.500 crianças de famílias carenciadas, tentando assim combater o abandono escolar.