Login

Noticias

Portucel Soporcel participa na Conferência RIO+20

rio20O grupo Portucel Soporcel vai participar na Conferência RIO+20, que decorre entre 13 e 22 de Junho no Rio de Janeiro. Com o objectivo principal de assegurar um comprometimento político renovado para o desenvolvimento sustentável, a Conferência reunirá Chefes de Estado e de Governo para debater a Economia Verde no contexto do Desenvolvimento Sustentável e da Erradicação da Pobreza.
Atendendo à importância estratégica da gestão dos recursos florestais para o desenvolvimento económico, ambiental e social de Portugal, no dia 21 de Junho, Paula Guimarães, Responsável de Certificação Florestal do grupo Portucel Soporcel, irá realizar, no Pavilhão de Portugal, uma apresentação subordinada ao tema “Gestão e Certificação Florestal na Indústria Portuguesa do Papel”. 
Naquele que é o mais importante evento, a nível mundial, no debate dos desafios com que o planeta se defronta em matéria de Desenvolvimento Sustentável, o Grupo procurará chamar a atenção para o papel decisivo que as plantações florestais podem desempenhar na redução da pressão da extracção de matéria-prima a partir de florestas naturais, proporcionando oportunidades em contextos em que estas são praticamente inexistentes e oferecendo uma solução para as necessidades da indústrias de base florestal. Com efeito, a empresa defende que, através de uma gestão adequada, as plantações florestais são geradoras de riqueza, equilíbrio ambiental e bem-estar social. 
O grupo Portucel Soporcel vai realçar, no Rio de Janeiro, que a gestão florestal responsável praticada pelas empresas portuguesas da fileira da pasta e do papel (representando o Grupo perto de 70% dessa fileira), cuja área certificada representa 70% da área certificada total do País, é uma evidência de que plantações florestais bem geridas podem contribuir positivamente para a integridade dos ecossistemas à escala da paisagem, a conservação da biodiversidade e a promoção de um contexto social e económico favorável. 
Esta fileira representa mais de 5% das exportações de bens do País, liderando a contribuição global do sector florestal para a balança comercial. A nível global, é de salientar que mais de 50% das exportações europeias de papel de escritório e impressão offset provêm da indústria portuguesa, ou seja, do grupo Portucel Soporcel.
Ocupando 38% do território, e fortemente direccionada para os mercados externos, a floresta portuguesa possui um elevado Valor Acrescentado Nacional (VAN) – 71,4% (valor superior à média nacional de 59,3%), contribuindo muito significativamente para o peso das exportações no PIB do País. 
Na fileira da pasta e do papel, Portugal é, através do grupo Portucel Soporcel, líder europeu na produção de papel fino de impressão e escrita não revestido e de pasta branqueada de eucalipto. A empresa representa 0,7% do PIB nacional e 3% das exportações de bens gerando um elevadíssimo e ímpar VAN, pelo facto de os seus produtos serem obtidos, na quase totalidade, a partir de matérias-primas e recursos nacionais.
Enquanto grupo florestal verticalmente integrado, cuja actividade se inicia com a Investigação aplicada à gestão responsável de um recurso natural e renovável - a floresta nacional -, passando pela produção de celulose, energia e papel, o compromisso com a sustentabilidade faz parte integrante do seu modelo de negócio. 
Na qualidade de maior gestor florestal privado do País, o Grupo promove a valorização e protecção da floresta, acrescentando valor aos 120 000 hectares que gere em Portugal. Tendo sido a primeira entidade no País a usufruir da gestão florestal certificada simultaneamente pelos sistemas FSC® (Forest Stewardship Council®) e PEFC (Programme for the Endorsement of Forest Certification), a Empresa aplica as melhores práticas de silvicultura, executa um plano de defesa e protecção da floresta contra incêndios e promove a gestão da biodiversidade.

“PORTUGAL, O TEU OLHAR” em fotografia

portugal olhar_odisseiasO canal Odisseia lança o Concurso de Fotografia “Portugal, o teu olhar”, uma iniciativa que decorre a partir de hoje até dia 5 de agosto e desafia os espectadores portugueses a revelarem a sua visão sobre o que distingue e identifica o seu país.
Para concorrer, os participantes poderão enviar a sua fotografia através da aplicação Concurso – Portugal o teu olhar, na página de facebook do canal Odisseia, através do endereço de e-mail Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar. ou do Instagram, etiquetando as fotos com o hashtag #portugaloteuolhar. O regulamento, bem como toda a dinâmica do concurso, podem ser consultados no site www.portugaloteuolhar.pt.
Segundo Roberto Blatt, director do canal, “o Odisseia procura fotos originais que sejam capazes de transmitir o olhar de cada um dos candidatos sobre o seu país ou cidade. Em linha da estratégia que temos vindo a seguir, em especial desde que o Odisseia se tornou no único canal de documentários 100% português, este concurso pretende aproximar-nos ainda mais da audiência portuguesa, através de um projecto em que o principal protagonista é Portugal. Esta é uma iniciativa muito interessante e enriquecedora, na medida em que dá a conhecer a visão dos portugueses sobre o seu próprio país”.
Durante sete semanas, diariamente, um júri composto por elementos do canal vai premiar a fotografia que considerar mais original com a oferta de uma câmara lomográfica, de edição especial Odisseia. No final, a fotografia vencedora, que será divulgada a 10 de agosto, ganhará um prémio no valor de 3 mil euros. O concurso será divulgado em antena, através de acções de street marketing e de uma campanha presente em imprensa, Facebook e Google AdWords.

Para comemorar este concurso em antena e a poucos dias do início dos Jogos Olímpicos de Londres, o Odisseia estreia o documentário “As Melhores Fotos Olímpicas”, composto por dois episódios, para ver a 17 de julho, às 23h00 e às 23h30.

Ao longo de uma hora, o Odisseia convida os apreciadores de fotografia a viajarem no tempo e a conhecerem algumas das imagens lendárias que as lentes das câmaras captaram ao longo da história das Olimpíadas. Analisaremos cada fotografia em pormenor, situando-a no seu contexto histórico e explicando a importância que teve no momento em que foi tirada.

Com o testemunho de atletas de escala mundial como Sergei Bunka ou Frankie Fredericks, o Odisseia apresenta uma fascinante visão da história dos Jogos Olímpicos, através das suas imagens mais emblemáticas, um percurso que relaciona alguns dos maiores sucessos da história do desporto com as lembranças pessoais dos seus protagonistas.

Estes documentários inserem-se no especial de programação “Jogos Olímpicos”, composto por mais de 40 horas de programação que convidam os espectadores a conhecer as infraestruturas, a extravagância, as histórias pessoais e o valor simbólico deste incontornável evento, com exibição a partir de dia 9 de julho, às 22h00.

Markzware lança Q2ID para CS6

QXP2IDA Markzware lançou uma nova versão para o plugin Q2ID que permite a conversão de ficheiros QuarkXPress para o InDesign CS6. O Q2ID elimina a necessidade de recriar o conteúdo de um arquivo de QuarkXPress no Adobe InDesign e a versão mais recente foi perfeitamente integrada com a versão do Adobe InDesign CS6.
"Queremos ir directo ao assunto e permitir que nossos clientes continuem a ter a conversão de arquivos de forma rápida e eficiente, de Quark para Adobe InDesign", disse Mary Gay Marchese, relações públicas para Markzware.
Bob Hoot, da Hoot Communications disse: "Conheço a Markzware há anos e anos e tive o FlightCheck e o PM2Q há alguns anos atrás e mantive-me a par dos novos produtos. Eu gosto de usar o seu produto de conversão, Q2ID, para materiais como anúncios. O Q2ID é indispensável para o designer fazer a mudança de Quark para InDesign. Não tenho conhecimento de qualquer outra coisa disponível que funcione tão bem. Tenho convertido publicações inteiras de 56 páginas ou mais com apenas problemas menores. O Q2ID tem sido um salva-vidas. "

EOS 650D chega ao mercado

canon eos650DA Canon acabou de lançar a sua mais recente máquina fotográfica, a Canon EOS 650D, equipada com um ecrã táctil, rotativo multi-ângulo, facilitando a utilização por qualquer utilizador que queira tirar fotos ou vídeos em HD. Direccionada para iniciantes da fotografia, esta câmara digital SLR (DSLR) engloba modos de disparo automáticos inteligentes com recursos avançados, além de uma completa gama de modos manuais que permite a exploração da máquina, conforme os utilizadores vão avançando nos seus conhecimentos de fotografia. Conta ainda com um sistema de auto foco duplo que permite um detalhe excepcional em focagem automática pontual ou contínuo, em gravação de vídeo. Vem apetrechada ainda com um sensor CMOS híbrido de 18 megapixel (MP) e um processador DIGIC 5, que permite a captação de imagens até 5 fps. O sensor CMOS híbrido possibilita uma alta resolução, que permite capturar imagens de tamanho poster, ricas em cores e detalhes. O seu intervalo ISO de 100 – 12,800, permite fotografar em baixa luminosidade, com aspecto natural e o mínimo ruido, podendo ser expansível até ISO 25600. O processador de 14-bit possibilita transição subtis de tonalidades de cor, como as de um céu nocturno, e a captura de movimentos rápidos, como acontece no futebol, por exemplo. O ecrã LCD táctil de ângulo variável Clear View II de 7,7 centímetros (3,0 ") vem com tecnologia capacitiva, bastante sensível aos gestos de toque e ao deslize do dedo, possibilitando o acesso rápido ao disparo, configurações e até ao acto de fotografar apenas com o ecrã. A articulação multi-ângulo facilita o inclinar e o rodar do ecrã e apresenta uma resolução de 1040 mil pontos garante a visualização de cada detalhe. No que toca à gravação de vídeo em full HD, a AF híbrido vem ajudar, sendo que as objectivas EF-S 18-135mm f/3.5-5.6 IS STM e EF 40mm f/2.8 STM revelam ser aos mais indicadas para gravar vídeos, graças ao seu motor de passo silencioso. Os vídeos podem ser gravados em dois, quatro ou oito segmentos de segunde combinados ou reordenados na câmara, antes da reprodução, possuindo ainda uma porta mini-HDMI integrada possibilidade a ligação com televisores HD. A Canon EOS 650D vem incorporada ainda com o HGR Backlight Control e o modo Handhled Night Scene. O primeiro modo analisa os ambientes de contraluz, captando três exposições – sob exposição, exposição correcta e a sobre-exposição, combinando-as numa imagem HDR em que os detalhes nas zonas de sombra e iluminadas ficam ao pormenor. Já o segundo Handheld Night Scene permite a captura de fotos com pouca luz, sem recurso a tripé, realizando rapidamente quatro imagens diferentes, antes de as combinar numa única imagem nítida e detalhada. A câmara é ainda compatível com uma variedade de lentes EF e acessórios, desde a grande angular e macro como até à telefoto extrema.

Omdesign renova identidade do Banco Luso Brasileiro

banco lusobrasileiroA agência de publicidade Omdesign foi escolhida para renovar a identidade do Banco Luso Brasileiro, sediado em São Paulo, no Brasil. A nova identidade, que será adotada em todos os materiais institucionais e de comunicação, bem como em diversos suportes ao nível de front office, é uma evolução da identidade anterior, agora mais envolvente, atual, dinâmica e mais próxima de todos os clientes do Banco Luso Brasileiro. A agência manteve as cores verde e vermelho, agora mais vivas e apelativas, assim como a assinatura já utilizada pelo banco: “O banco que fala a sua língua”.

Abertas candidaturas do prémio Terre de Femmes

terredefemmesA partir de 8 de Junho é possível, a todas as mulheres portuguesas maiores de 18 anos com um projeto na área do ambiente e sustentabilidade, candidatarem-se à quarta edição do Prémio Terre de Femmes 2012/2013. As candidaturas, que estão a decorrer até ao próximo dia 30 de Setembro de 2012, permitirão concorrer a um prémio máximo no valor de 5 000€, mas também a um segundo prémio no valor de 3 000€, e a um terceiro de 2 500€.
O Prémio Terre de Femmes é constituído por um Prémio Nacional Terre de Femmes e por um Grande Prémio Internacional Terre de Femmes, no montante de 10 000€. Proposto e desenvolvido pela Fundação Yves Rocher – Instituto de França, o Prémio Terre de Femmes homenageia as mulheres eco-cidadãs, militantes do quotidiano e muitas vezes anónimas que agem a favor do ambiente. 
Na última edição, a Fundação Yves Rocher premiou três mulheres portuguesas com projetos distintos na área da sustentabilidade e educação ambiental: 1º prémio - Elda Sousa e o seu Projeto “Viveiro de Plantas Indígenas da Ilha da Madeira”; 2º prémio - Alexandra Cunha e o seu Projeto “ADOPTE – Adopte-uma-Pradaria-Marinha” e 3º prémio - Ana Sofia André e o seu Projeto “Viveiro de plantas autóctones”.
O período de receção de candidaturas para a edição de 2012/2013 decorre até ao dia 30 de Setembro 2012, devendo a ficha de participação e o dossier de candidatura ser remetidos para Yves Rocher Portugal – Zona Industrial da Maia I, Sector II, Rua do Castanhal, n.º 256, Gemunde, 4475-122 Maia, ou através do E-mail: Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.. Também poderá descarregar a ficha de inscrição e consultar o Regulamento do Prémio Terre de Femmes e os critérios de seleção, em www.yvesrocher.pt. O Prémio Terre de Femmes é um prémio Internacional e nesta edição será levado a cabo por 7 países: França, Alemanha, Suíça, Rússia, Marrocos, Portugal e Ucrânia. Atualmente já foram recompensadas mais de 300 mulheres, em mais de 15 países, pelas suas ações de proteção e de valorização do mundo vegetal.