Log in

Personalização da medicina garante crescimento da impressão 3D

Crescimento do 3D na medicina
Em 2016, o mercado da impressão 3D de produtos médicos e farmacêuticos valia 400 milhões de dólares. Um novo estudo da Smithers Rapra estima que o crescimento vai atingir os 6 biliões de dólares nos próximos dez anos.
 
O estudo ‘The Future of 3D Printing for Medical and Pharmaceuticals to 2027’ mostra que o principal motor da rápida adoção da tecnologia 3D nos cuidados de saúde é o potencial significativo na entrega de medicamentos personalizados - o novo mantra da medicina moderna. Os cientistas e industriais estão a explorar novas aplicações da tecnologia no campo da bio impressão em 3D e na formulação de medicamentos.

A tecnologia de impressão 3D já é aplicada em cuidados de saúde, fornecendo modelos anatómicos personalizados e ferramentas cirúrgicas que facilitam a formação e o planeamento de cirurgias complexas, bem como implantes e próteses personalizados, cada vez mais sofisticados, que oferecem um melhor ajuste e funcionalidade para os pacientes.

O uso de modelos de tecido para estudar o desenvolvimento da doença ou a realização de rastreio de drogas, ou testes de segurança mecanicista de drogas para avaliar a toxicidade do medicamento no estágio pré-clínico deverá ser uma nova fronteira e uma área de alto crescimento nos próximos 5- a0 anos.
A aprovação pela FDA da primeira droga oral impressa em 3D, a Spritam, marcou um marco significativo no reconhecimento do potencial real do 3D para a formulação de medicamentos.

As indústrias de odontologia e aparelhos auditivos têm alavancado a tecnologia e continuam a melhorar. Quase todos os aparelhos auditivos são agora personalizados para a anatomia individual do paciente, graças à tecnologia 3D. Está também a transformar a prática da medicina dentária, não só com próteses, coroas, implantes e alinhadores personalizados mais adequados, mas também com mudanças dramáticas na cadeia de fornecimento, já que um novo conjunto de próteses pode ser entregue em questão de horas numa visita ao dentista. Isto evita visitas repetidas ao dentista, durante seis semanas, para medir, projetar, produzir, ajustar e entregar um conjunto de próteses ou coroas.
 
Os segmentos convencionais de modelos anatómicos e próteses continuarão a melhorar, em qualidade e escala de adoção, a uma taxa constante ao longo do período de previsão, para capturar o vasto potencial inexplorado no segmento.