Log in

Indústria europeia de papel continua resiliente, diz a CEPI

CEPI revela estatísticas
CEPI revela estatísticas

CEPI revela estatísticas
Com os mercados globais cada vez mais incertos, a produção europeia de papel e cartão demonstrou resiliência em 2016, refere a CEPI nas mais recentes estatísticas. Isso não só continua a tendência dos últimos anos, mas excede o desempenho de outras regiões-chave de produção de papel, incluindo os Estados Unidos e o Canadá.


O consumo europeu de papel e cartão apresentou um aumento pelo terceiro ano consecutivo, crescendo 0,3% em 2016, impulsionado pela maior procura por certas categorias de produtos de papel, em embalagens particularmente sustentáveis, higiene e papéis especiais.


O aumento do consumo também teve um efeito decisivo sobre as importações para os países CEPI, que aumentaram 4,5% em 2016 (7,2% do consumo total de papel europeu). Apesar desta tendência e aumento da concorrência a nível mundial, a indústria continua a ser um exportador líquido, exportando aproximadamente 21% de sua produção.


Noutra nota positiva, observou-se um aumento de 2,7% na produção de pasta, contrariando o declínio dos últimos anos. Isso foi impulsionado por um aumento (17,8%) na exportação de pasta para países não-CEPI, particularmente a Ásia (20,8% de aumento).


A utilização do papel para reciclagem manteve-se relativamente estável, como nos anos anteriores, apresentando um ligeiro aumento em 2016. A recolha de papel para reciclagem apresentou um aumento de 1,0%. Ao mesmo tempo, as exportações de papel para reciclagem aumentaram 5,6%, a maioria dos quais atingiu os mercados asiáticos (91,7%).

A Confederação das Indústrias Europeias de Papel (CEPI) é a associação pan-europeia que representa a indústria florestal e papeleira. Através das suas 18 associações nacionais, a CEPI reúne 495 empresas que operam mais de 900 fábricas de pasta e papel em toda a Europa produzindo papel, papelão, pasta e outros produtos. A CEPI representa 22% da produção mundial, um volume de negócios anual de 81 biliões de euros para a economia europeia e emprega diretamente mais de 175 mil pessoas.