Log in

HP reforça portfólio e aposta no outsourcing da impressão

Índice do artigo

João Ferrão
João Ferrão

João Ferrão
A HP está a apostar no segmento do outsourcing de parques de impressão no mercado office e, também por isso, acaba de reforçar o portfólio de equipamentos, nomeadamente no formato A3. O objetivo é atingir, até ao final do ano, uma quota de mercado de 10%, sendo que em dezembro de 2016 apenas tinha 1% no mercado nacional.
 
Com a noção de que o portfólio era reduzido para dar resposta às necessidades, a marca lança agora 16 MFPs, entre as 25 e as 55 páginas por minuto, sendo 13 a laser e 3 com a tecnologia PageWide.
 
João Ferrão, do departamento Office Printing Solutions, refere já atingiram “uma quota de 8% no final do primeiro trimestre” e que o alvo de 10% deverá ser facilmente atingido até ao final do ano. Relembra ainda que os novos lançamentos são já potenciados pelo acordo de compra da divisão de impressão da Samsung, recentemente anunciado.
 
O executivo da HP sublinha que a aposta concentrada no crescimento do outsourcing de gestão de parques de impressão vai muito potencial graças aos serviços oferecidos e ao SDS – Smart Device Services. No fundo, trata-se de um aglomerado de serviços e funcionalidades que permitem “uma abordagem preventiva e não reativa” às questões de manutenção e de serviços. Isso é possível graças aos cerca de 70 sensores incorporados nos equipamentos, que lançam alertas para uma central de serviços que, por sua vez, resolve as questões que surgem até antes de serem percecionadas pelo cliente, e ao sistema operativo Future Smart, incluído nos equipamentos desde 2012.
 
Outra questão importante, num ciclo contratual que pode variar entre os 3 e os 6 anos, é o facto de que os equipamentos prometem a redução da pegada ambiental dos clientes em cerca de 55%, do consumo energético em 73% e a redução de resíduos em 95%. Números que se atingem devido às inovações técnicas das máquinas e à menor necessidade de intervenção ou substituição de consumíveis.