fbpx
Login
Atualizado a 18 Jun, 2019

Inapa reduz dívida em €24 milhões

Inapa Portugal
Feitas as contas de 2018, a Inapa revelou que fechou o ano com um volume de negócios de €860 milhões, menos 2,9% do que em 2017 e conseguiu uma redução de €24 milhões na dívida líquida.

Na Europa Ocidental, em 2018, houve uma quebra de consumo de papel de 7,4%. A Inapa prosseguiu com a sua estratégia de melhoria de diversificação de vendas através do aumento das vendas de produtos de maior valor acrescentado que, aliada aos aumentos de preços, levou a um aumento da margem bruta por tonelada de papel vendida de 6,3% face a 2017.

“A queda do consumo, a maior desde a crise de 2009, influenciou, decisivamente, a evolução da nossa atividade. A significativa redução de custos operacionais só compensou parcialmente a redução de vendas e respetiva margem. Ao nível da sustentabilidade, a Inapa registou uma evolução importante com uma redução de €24 milhões da dívida líquida, sendo que a dívida de curto prazo diminuiu €20M ou 29%” Diogo Rezende, CEO do Grupo Inapa

Os negócios complementares de embalagem e de comunicação visual registaram um crescimento de faturação de 4,7%, fruto das iniciativas levadas a cabo nos diferentes mercados onde a Inapa atua e do alargamento da oferta de produtos.
Inapa papel
Os custos de exploração líquidos diminuíram €4,7 milhões. O ano de 2018 foi o primeiro ano completo após a fusão das sociedades em França, tendo já sido notório o contributo para a poupança dos ganhos de otimização de recursos, nomeadamente na eficiência ao nível da rede de logística e distribuição. Incluindo o valor de imparidades e custos não recorrentes, a poupança total de custos em 2018 face a 2017 foi de €7 milhões.

Em resultado da quebra de mercado e da margem bruta total gerada, cujos efeitos foram apenas parcialmente compensados, o EBITDA situou-se nos 16,5 milhões de euros, 2,8 milhões de euros abaixo do ano de 2017. Os resultados operacionais (EBIT) situaram-se em 8,1 milhões de euros.
Os custos financeiros líquidos aumentaram 1,1 milhões de euros para 14,3 milhões de euros face ao ano anterior. Isso deve-se ao impacto da desvalorização da Lira turca no aumento do custo de financiamento e nas diferenças cambiais, bem como a alguns encargos upfront inerentes a renegociações com bancos, das quais resultaram novos planos de reembolso com um aumento expressivo da maturidade média.

Em termos globais, o Grupo fechou o ano com um resultado líquido negativo de €3,6 milhões.
Inapa Portugal Armazém

Durante o ano transato foi anunciado o acordo para a aquisição de 100% do capital social da Papyrus Deutschland, cuja concretização está apenas sujeita à habitual aprovação da Autoridade da Concorrência alemã.
De acordo com o CEO da Inapa, “esta operação será transformacional para o grupo e irá permitir obter substanciais ganhos de eficiência na Alemanha. Quando concretizada passaremos a deter uma posição de liderança nos dois maiores mercados Europeus, Alemanha e França. Esta aquisição fará crescer o nosso volume de negócio em mais de 50%, ficando perto duma faturação anual de €1300 milhões.”

A dívida líquida consolidada a 31 de dezembro de 2018 foi de 272,2 milhões de euros, registando uma diminuição de 24,2 milhões de euros face ao ano anterior.